Boa Vista (RR) – O Exército Brasileiro realizou, entre os dias 26 e 28 de maio, uma Viagem de Relações Institucionais à Amazônia. Durante dois dias, integrantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário visitaram o estado de Roraima e tiveram a oportunidade de conhecer de perto o trabalho desenvolvido pela Força-Tarefa Logística Humanitária (FTLogHum) na Operação Acolhida, que visa a minimizar os efeitos da maior crise migratória vivenciada no continente, apoiando o povo venezuelano que busca refúgio no nosso território.

Para o Comandante da FTLogHum, General de Divisão Sérgio Schwingel, é importante que a comitiva conheça o trabalho realizado na Operação Acolhida. “Certamente conhecendo mais de perto as autoridades vão poder dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado pelo governo federal nessa operação de acolhimento aos venezuelanos”, explicou.

Além de conhecer a FTLogHum, a comitiva visitou o 1º Pelotão Especial de Fronteira (PEF) de Bonfim, subordinado à 1ª Brigada de Infantaria de Selva. Dessa forma, os visitantes puderam verificar a relevância do trabalho e da presença do Exército Brasileiro naquela região.

O Comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, General de Brigada Marcelo Lorenzini Zucco, destacou que para os militares que servem na fronteira esse tipo de visita tem muito significado, pois é a oportunidade de mostrar o trabalho desenvolvido em localidades distantes e estratégicas para o nosso país.

O Vice-presidente do Supremo Tribunal Militar, Ministro Péricles Aurélio Lima de Queiroz, falou sobre o privilégio de fazer parte da comitiva que conheceu a Operação Acolhida, em Boa Vista e também o 1º PEF de Bonfim. “Consideramos uma oportunidade ímpar de sairmos de nossos gabinetes para ter contato com a realidade brasileira da amazônia no longínquo estado de Roraima. Levaremos valiosas informações que enriquecerão nossas atividades no judiciário”, declarou.

Já para a Diretora do Departamento de Organismos Internacionais, do Ministério das Relações Exteriores, Ministra Gilda Motta, a experiência em Roraima foi muito preciosa, tanto na Operação Acolhida quanto no Pelotão de Fronteira. “Essa vivência foi muito rica e só confirmou o orgulho que eu tenho dos nossos militares e do nosso Exército e do trabalho espetacular que fazem”, concluiu.

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército

Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui