O Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC) conduziu, de 10 a 14 de novembro, um exercício inovador denominado “Jogo de Guerra Tempestade no Agreste”. O objetivo principal deste treinamento foi o aperfeiçoamento dos Oficiais Alunos do Curso de Aperfeiçoamento Avançado do Corpo de Fuzileiros Navais (C-ApA CFN) no processo de tomada de decisão durante a execução de Operações Militares.

Uso de Tecnologia e Simulação Computacional

O exercício foi realizado com o auxílio de sistemas computacionais avançados, contando com o apoio do Centro de Simulação do Corpo de Fuzileiros Navais e o uso do Sistema de Jogos Didáticos (SJD). Essa tecnologia permitiu simular cenários realísticos, onde os Oficiais Alunos puderam enfrentar situações diversas que podem ocorrer em operações anfíbias.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Desenvolvimento de Estratégias em Ambiente Controlado

02 40

Durante o Jogo de Guerra, os participantes assumiram diferentes funções dentro das células de planejamento de um Estado-Maior de nível Brigada Anfíbia (BAnf). Esse ambiente controlado proporcionou a eles a chance de aplicar conhecimentos teóricos em um contexto prático, enfrentando e solucionando desafios típicos das operações militares.

Contribuição para a Formação Militar

A realização do “Tempestade no Agreste” é fundamental para a formação e o desenvolvimento dos Oficiais Alunos. O exercício possibilitou a verificação e correção de procedimentos, garantindo a conformidade com as doutrinas militares vigentes e preparando os futuros líderes para situações reais de combate.

A Importância do Jogo de Guerra

O Jogo de Guerra “Tempestade no Agreste” marca um passo importante no treinamento avançado dos Oficiais do C-ApA CFN, combinando tecnologia, simulação e estratégia para aprimorar habilidades cruciais em operações anfíbias. O CIASC continua a ser um centro de excelência na preparação de profissionais altamente qualificados para o Corpo de Fuzileiros Navais.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).