No dia 12 de abril, o Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC) foi palco da cerimônia de encerramento do Estágio de Qualificação Técnica Especial de Operações Especiais (E-QTEsp-OpEsp) de 2024. O evento, significativo para os formandos e suas famílias, celebrou a transição dos alunos ao prestigioso título de Operador Especial, marcado simbolicamente pela troca do gorro de aluno pelo de Operador Especial.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Desenvolvimento Intensivo

blank
Formandos do E-QTEsp-OpEsp 2024

O Estágio, que foi conduzido pela Escola de Operações Especiais, durou seis semanas e foi desenhado para capacitar Cabos e Soldados Fuzileiros Navais a apoiar os Comandos Anfíbios em Operações Especiais. Durante este período, os participantes foram submetidos a uma série de desafios rigorosos, preparando-os intensivamente para as exigências das atividades especiais que irão enfrentar.

Abrangência do Treinamento

As atividades do Estágio abrangeram diversas áreas críticas, incluindo táticas de combate, técnicas de sobrevivência, e operações anfíbias, todos conduzidos com o mais alto nível de rigor e precisão. Estas atividades foram essenciais para assegurar que cada formando desenvolvesse as habilidades necessárias para operar eficazmente dentro das equipes altamente especializadas do Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais.

Integração e Próximos Passos

Com a conclusão do Estágio, os 29 novos auxiliares de Comandos Anfíbios estão agora oficialmente integrados às equipes operativas, prontos para contribuir de forma significativa para as missões do Corpo de Fuzileiros Navais. A cerimônia não apenas reconheceu seus esforços e dedicação, mas também reforçou o comprometimento do CIASC com o desenvolvimento contínuo e aprimoramento das capacidades de combate da Marinha.

Reconhecimento e Agradecimentos

Durante o evento, expressões de gratidão foram dirigidas aos instrutores e ao pessoal de apoio da Escola de Operações Especiais, cujo profissionalismo e dedicação foram fundamentais para o sucesso do programa. A presença e o apoio das famílias dos formandos também foram destacados como um elemento crucial na jornada dos alunos.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).