No dia 15 de outubro, na Área de Estágios do Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil (CI Pqdt GPB), “Escola de Paraquedistas 1945”, ocorreu a cerimônia de brevetação do 21/2 Curso Básico Paraquedista. 171 novos paraquedistas foram brevetados, sendo 19 oficiais, 112 cadetes do 4º ano da Academia Militar da Agulhas Negras, 36 praças do Exército Brasileiro, 2 da Marinha do Brasil e 2 da Força Aérea Brasileira. Pela primeira vez na história do CIPqdt GPB, foram formadas 8 cadetes do segmento feminino.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A solenidade foi presidida pelo Presidente do Superior Tribunal Militar (STM), General de Exército Luis Carlos Gomes Mattos,  e contou com a presença do Chefe do Departamento de Engenharia e Construção (DEC), General de Exército Júlio César Arruda, do Comandante Militar do Leste (CML), General de Exército José Eduardo Pereira, e do Diretor do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), General de Exército André Luis Novaes Miranda, demais oficiais-generais da guarnição, comandantes de organizações militares, familiares e convidados.

Durante a formatura foi transmitido um áudio gravado pelo Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, na qual parabenizou os formandos e destacou o significado e a expectativa da Força em relação aos novos combatentes aeroterrestres.

Após a solenidade, os novos paraquedistas participaram de um “Badernaço”, tradição da mística aeroterrestre, onde são cantadas três canções de forma a reverenciar o legado de gerações passadas e perenizar os valores da Instituição e da Brigada de Infantaria Pára-quedista.

O Curso Básico Paraquedista é um curso de especialização da linha de ensino militar bélico, realizado desde 1949, com a duração de seis semanas, desenvolvidas em duas fases. Ao longo do curso, além do condicionamento físico, o aluno aprende a técnica individual básica paraquedista. Ao final da segunda fase, o aluno estará apto a embarcar em uma aeronave militar para a realização de cinco saltos semiautomáticos.

No último salto, os alunos realizam a Operação Boot, que inicia com a emissão da Ordem de Operações pelo Comando da Bda Inf Pqdt, com os alunos inseridos em uma Companhia de Fuzileiros Paraquedista, orgânica de um Btl Inf Pqdt. Em seguida, planejam e ensaiam as ações, participando do briefing aeroterrestre conduzido pela Companhia de Precursores Paraquedistas. Essa operação é coroada com um exercício no terreno, que consiste de um salto armado e equipado em zona de lançamento inédita, com a realização de uma marcha para o combate, ocupação de uma zona de reunião e ocupação de um posto de observação, onde os novos paraquedistas podem observar o desdobramento no terreno das diversas funções de combate numa clássica operação aeroterrestre de cabeça de ponte aérea.

Fonte: CI Pqdt GPB
Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).