A Batalha Naval de 4 de Maio de 1823, que completa 200 anos, foi um evento crucial na consolidação da Independência do Brasil. Em cerimônia realizada no Forte de São Lourenço, na Ilha de Itaparica (BA), personagens históricos da Marinha do Brasil (MB) foram homenageados, incluindo o Comandante em Chefe da Esquadra brasileira, Almirante Thomas Cochrane; o Capitão-Tenente João das Bottas, coordenador da Flotilha de Itaparica; e o jovem Joaquim Marques Lisboa, futuro patrono da Força.

O Comandante do 2º Distrito Naval, Vice-Almirante Antonio Carlos Cambra, ressaltou a importância de lembrar a Batalha Naval de 4 de Maio como um marco na luta pela independência e na manutenção da integridade territorial do Brasil. A recém-criada Esquadra Brasileira enfrentou uma Esquadra portuguesa mais numerosa e conseguiu manter o bloqueio aos portugueses na Bahia, consolidando a vitória no dia 2 de julho, quando os portugueses deixaram a cidade sob escolta da Esquadra de Cochrane até Portugal.

O Forte de São Lourenço não é apenas um patrimônio histórico e cultural, mas também abriga a única Estação de Medições Magnéticas de navios e submarinos em toda a América Latina. Esta instalação contribui para a análise dos efeitos do magnetismo nos navios, dificultando a detecção por minas de influência magnética e desempenhando um papel crucial na Estratégia de Defesa Nacional.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).