Em uma despedida marcada por reconhecimento e mérito, o Capitão Marcelo Araújo, figura emblemática do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), prepara-se para alçar voos ainda mais altos. Sua jornada agora o leva aos Estados Unidos da América, onde assumirá o cargo de Instrutor de Operações na Selva na renomada Lightning Academy, integrante da 25ª Divisão de Infantaria, sediada em Honolulu, no Havaí. Uma trajetória que transcende fronteiras e reforça a excelência do Guerreiro de Selva brasileiro no contexto global.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A EXCELÊNCIA DO GUERREIRO DE SELVA BRASILEIRO

blank

Com mais de 5.260 horas de imersão na densa vegetação amazônica e o legado de 329 Guerreiros de Selva formados, o Capitão Marcelo Araújo personifica o ápice da expertise em operações na selva. Sua atuação no CIGS não se limitou apenas ao domínio técnico, mas também à implementação de mudanças substanciais nos módulos de tiro dos Cursos de Operações na Selva. O aprimoramento dessas práticas, aproximando-as das demandas reais de combate, contribuiu significativamente para elevar a autoconfiança e a perícia dos combatentes, especialmente no contexto operacional amazônico.

UM LEGADO DE EXCELÊNCIA E DEDICAÇÃO

A despedida do Capitão Marcelo Araújo do CIGS não marca apenas o término de uma etapa, mas sim o início de uma nova fase, onde seus conhecimentos e valores serão disseminados em um cenário internacional. Sua partida para a Lightning Academy não apenas evidencia sua competência individual, mas também ressalta a qualidade e o profissionalismo do Guerreiro de Selva brasileiro, reconhecido como o melhor em escala global.

A REPRESENTATIVIDADE NACIONAL ALÉM-FRONTREIRAS

Ao assumir o papel de Instrutor de Operações na Selva na Lightning Academy, o Capitão Marcelo Araújo não apenas representa a si mesmo, mas também leva consigo a bandeira do Brasil. Sua presença em um ambiente tão prestigioso como esse não apenas enaltece sua trajetória pessoal, mas também projeta a expertise e o comprometimento das Forças Armadas brasileiras no contexto internacional.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).