Veículo Blindado de Transporte de Pessoal Guarani (Ministério da Defesa/Divulgação)

O governo brasileiro fechou parceria com uma empresa nacional para a produção das peças que irão substituir os dispositivos dos alemães no veículo militar Guarani, após a retaliação da Alemanha que vetou a exportação de blindados para as Filipinas.

O Radar da VEJA informou que o veto do Bundesamt für Wirtschaft und Ausfuhrkontrolle (BAFA), órgão governamental de controle de exportação do país, não teria ocorrido pela recusa do Brasil em atender o pedido de munição do governo alemão à Ucrânia, mas sim porque a Alemanha proíbe que sua tecnologia militar embarcada nos blindados brasileiros seja vendida a países que “desrespeitam os direitos humanos”, o que seria o caso das Filipinas. A produção das peças nacionais seria uma forma de driblar o veto da Alemanha.