Em um esforço para estreitar laços e compartilhar conhecimentos, a Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ) recebeu, no dia 4 de junho, alunos do curso de Tecnologia em Construção Naval da UERJ. A visita incluiu uma apresentação técnica sobre docagem de navios, conduzida pelo Capitão de Fragata Júlio Alfradique.

Palestra sobre Operações de Docagem

A Base Naval do Rio de Janeiro (BNRJ) proporcionou aos alunos do curso de Tecnologia em Construção Naval da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) uma experiência enriquecedora no dia 4 de junho. A visita teve como ponto alto uma palestra detalhada sobre operações de docagem, ministrada pelo Capitão de Fragata Júlio Alfradique, Gerente de Modernização das Instalações dos Diques da BNRJ e uma autoridade no assunto.

Durante a palestra, Alfradique compartilhou informações técnicas valiosas, abordando desde os planos de docagem até as complexidades dos arranjos de picadeiros nos diques. Os alunos tiveram a oportunidade de aprender sobre as principais manutenções e reparos realizados nos navios durante o Período de Docagem de Rotina (PDR), essencial para a manutenção da frota da Marinha do Brasil. A abordagem técnica e detalhada da apresentação ampliou o conhecimento dos estudantes sobre os processos e desafios envolvidos na docagem de navios.

Visita às Instalações da BNRJ

blank

Após a palestra, os alunos, acompanhados pelo coordenador do curso, Carlos Vitor de Alencar Carvalho, e pelos professores Jéferson Rosa e Pablo Tinoco da Silva, foram conduzidos a um tour pelo Departamento Industrial da BNRJ. Durante essa visita, os estudantes puderam observar de perto os trabalhos realizados nos navios docados nos diques “Almirante Branco” e “Almirante Brazil”. Essa experiência prática foi fundamental para que os alunos vissem em ação o que haviam aprendido teoricamente, observando diretamente as práticas de manutenção e reparo naval.

Impacto e Benefícios para os Alunos

A visita à Base Naval do Rio de Janeiro foi uma oportunidade única para os alunos do curso de Tecnologia em Construção Naval da UERJ. Além de adquirir conhecimentos técnicos sobre docagem, a experiência permitiu aos estudantes visualizar a aplicação prática desses conhecimentos. O contato direto com os processos e profissionais da Marinha do Brasil proporcionou uma visão mais clara e abrangente das demandas e desafios da construção e manutenção naval, preparando-os melhor para suas futuras carreiras na indústria naval.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui