blank

Manaus (AM) – Nos próximos anos a Amazônia deve receber sinal de conectividade via internet 5G. As obras das fibras óticas já formam iniciadas e, na última semana, uma comitiva do Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) e representantes do Governo Federal e das empresas de telefonia estiveram em Novo Airão, São Gabriel da Cachoeira e Maturá-AM e este foi um dos temas em pauta.

O conselheiro da Anatel e representante do GAISPI (grupo que faz a coordenação das atividades de limpeza da faixa de 3,5 GHz, entre outras obrigações do edital de 5G), Moisés Queiroz Moreira, destacou o pioneirismo Exército Brasileiro no que se refere a expansão da internet e falou que o grupo trabalha na implantação do 5G e que já estão disponíveis quase 10 quilômetros de fibras óticas na Amazônia.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

“Durante essa viagem as empresas de telefonia – Claro, Vivo e Tim – estão conhecendo um pouco da realidade da Amazônia e com as infovias funcionando estas empresas podem construir a última milha de fibra ótica e oferecer seus serviços à população na região Amazônica”, detalhou o conselheiro.

O presidente da EAF (Entidade Administradora da Faixa), Leandro Guerra, explicou que, inicialmente, haverá a limpeza da faixa da frequência 3,5 GHz e, em seguida, as operadoras móveis vão trabalhar na implantação do 5G o mais rápido possível.

O Secretário de Radiodifusão do Ministério de Comunicações e integrante do GAISPI, Maximiliano Martinhão, acrescentou que a política do Ministério é levar para a população brasileira os serviços que a população mais gosta: televisão, rádio e internet. “No campo da internet existe um contingente de 40 mil pessoas que não têm acesso à rede e estamos trabalhando nisso”, disse.

Segundo Martinhão, na Amazônia, para se vencer os obstáculos é preciso utilizar os rios e está em andamento o Programa Amazônia Integrada e Sustentável (Pais) que utiliza internet via fibra ótica subfluvial. O objetivo principal do programa é permitir a oferta de serviço de banda larga de boa qualidade à população da Região Amazônica.

O presidente da operadora Claro, José Félix, que integrou a comitiva do DCT em viagem a Novo Airão e na região da Cabeça do Cachorro se disse deslumbrado com a visita nas organizações militares e os serviços de internet em execução nos municípios visitados. “Às vezes, ficamos presos em nossos escritórios, mas aqui conseguimos ver o esforço da iniciativa privada junto com o poder público, em especial, o Exército Brasileiro”, disse.

Entre os integrantes da comitiva estavam o Chefe de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC) General de Divisão Pedro Paulo Levi Mateus Canazio, o Chefe do Centro Integrado de Telemática do Exército (CITEx) General de Brigada Jacy Barbosa Júnior, Presidente da Claro José Félix, Presidente da EAF Leandro Guerra, Presidente da Telebrás Jarbas José Valente, Vice-Presidente Jurídico e Regulatório da Claro e GAISPI Oscar Petersen, Vice-Presidente de Assuntos Regulatórios da Vivo e GAISPI Camilla Tapias, Vice-Presidente de Assuntos Regulatórios e Institucionais da Tim e GAISPI Mário Girasole, Conselheiro da ANATEL Sr. Moisés Queiroz Moreira, Secretário de Radiodifusão do Ministério de Comunicações e GAISPI Maximiliano Martinhão.

Fonte: Comando do Comando Militar da Amazônia