Na segunda quinzena de abril, o Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC) organizou uma visita significativa para os alunos do Curso Especial de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica – Turma I/2024, ao Grupamento de Operações com Produtos Perigosos (GOPP) do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Objetivo da Visita

Esta iniciativa faz parte do currículo formativo do curso e teve como objetivo fornecer aos alunos uma compreensão prática das operações em situações de emergência envolvendo substâncias químicas, tóxicas, inflamáveis, corrosivas, explosivas ou radioativas. O GOPP é uma unidade especializada que desempenha um papel crucial em respostas a incidentes com materiais perigosos, tornando-se um ambiente de aprendizado ideal para esses futuros especialistas em DefNBQR.

Atividades e Aprendizado

blank
Exercício de descontaminação

Durante a visita, os alunos tiveram a oportunidade de observar de perto as instalações e os equipamentos utilizados pelo GOPP. Foram apresentadas demonstrações práticas das técnicas de intervenção que são empregadas nas operações diárias do grupamento. Essas demonstrações incluíram desde o manuseio correto de equipamentos de proteção até procedimentos complexos de resgate de vítimas em cenários de contaminação química.

Interação e Prática Conjunta

Um dos pontos altos da visita foi a chance dos alunos interagirem diretamente com os profissionais experientes do GOPP. Esta interação permitiu uma troca valiosa de conhecimentos e experiências. Além disso, os estudantes participaram de um exercício prático conjunto, simulando um resgate de vítimas, o que lhes proporcionou uma visão realista das demandas e desafios enfrentados em operações com produtos perigosos.

Impacto na Formação dos Alunos

A visita ao GOPP foi extremamente benéfica para os 38 alunos envolvidos, enriquecendo seu aprendizado teórico com experiências práticas imprescindíveis. Esse tipo de formação prática é vital para preparar adequadamente os futuros especialistas em DefNBQR, equipando-os com o conhecimento e as habilidades necessárias para responder efetivamente a emergências de produtos perigosos.

Marcelo Barros, com informações da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).