No dia 28 de Junho, a Aditância de Defesa e do Exército no Peru ministrou instrução básica ao corpo diplomático brasileiro, a fim de ambientá-lo sobre o histórico dos desastres naturais, com enfoque em movimentos sísmicos, destacando as medidas preventivas e ativas a serem executadas.

A atividade foi motivada pelo abalo sísmico de 22 de junho, de magnitude 6.0 (forte) na Escala Richter, sendo o mais sentido na capital peruana desde o terremoto de 8.0 ER, em 2007. Foi, também, uma preparação para o dia 29 de junho, quando ocorreu um treinamento geral denominado “simulacro familiar”, a fim de viabilizar a preparação e atualização de planos familiares, de mochilas de emergência, bem como identificação de rotas de evacuação de imóveis.

A instrução foi prestigiada pelo Ministro Elio Cardoso, pelo corpo diplomático, adidos e auxiliares de adidos, militares e civis, junto à embaixada do Brasil em Lima.

O Peru encontra-se localizado no “cinturão de fogo do pacífico” evidenciando significativo número de abalos sísmicos, em 2020 foram registrados 811 sismos e em 2021 já conta com 388 sismos reportados.

O Instituto Geofísico do Peru (IGP) é o órgão responsável pelo estudo, acompanhamento e prevenção de desastres naturais, e, estima a possibilidade de ocorrência de novos abalos, com magnitude igual a superior ao ocorrido em 22 de Junho.

Os treinamentos nacionais da Defesa Civil têm regularidade anual, entretanto, em 2020 não ocorreram devido à pandemia. Por essa razão, a maior parte dos brasileiros que labutam na embaixada, chegados em 2020 e 2021, ainda não haviam participado de eventos preparatórios similares, aumentando significativamente a importância deste evento.

Dentre os conteúdos abordados, enfatizou-se a elaboração de planejamento familiar, preparação de mochila de emergência, reconhecimento de zona segura residencial, rota de evacuação, bem como suporte emocional.

Os eventos previstos pela defesa civil peruana, bem como a preparação do pessoal na embaixada tiveram sinergia, conferindo maior resiliência aos representantes do Estado brasileiro na República do Peru.

Fonte: AdiDefEx – Peru

Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui