A Defesa da Infraestrutura de Cabos Submarinos

blank

Os pesquisadores Leonardo Perin Vichi (EGN-MB/ UFSCAR/ ECEME), Danielle Jacon Ayres Pinto (UFSC/ ECEME) e André Luiz Nery de Sá (ANCINE/ ECEME) publicaram na Revista da Escola de Guerra Naval o artigo A Defesa da Infraestrutura de Cabos Submarino: Por uma interface entre a Defesa Cibernética e a Segurança Marítima do Brasil.

O trabalho analisa a importância de se pensar políticas de segurança para a infraestrutura de cabos submarinos utilizada pelo Brasil, tendo em vista que nessa tecnologia reside grande parte da capacidade de comunicação do país com outros atores globais, formando um extenso hub, cuja relevância se protrai, em especial, para todas as cadeias econômicas, sociais e políticas nacionais.

Foram analisados a dimensão do uso dos cabos submarinos no Brasil, o quantitativo de empresas que operam essas infraestruturas no país e os tipos de ameaças capazes de causar danos aos cabos submarinos. Na sequência, foi abordada a necessidade da interação entre as instituições públicas e privadas para o sucesso dos mecanismos da defesa dessa infraestrutura de comunicação. O fatode o fluxo mundial de informações depender dos cabos submarinos, somado à característica multi-domínio do ciberespaço, apontam para a correlação entre defesa cibernética e segurança marítima.

A análise indica a necessidade de ampliar os estudos e a discussão sobre o tema no meio acadêmico, nas forças armadas e nas diversas instâncias do governo brasileiro, a fim de assegurar a proteção dessas infraestruturas, garantindo, assim, a integridade, confiabilidade e disponibilidade do fluxo de informação entre o Brasil e o mundo.

Leia o artigo completo clicando aqui.

https://revista.egn.mar.mil.br/index.php/revistadaegn/article/view/978/757

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!

Receba nossas notícias em tempo real através dos aplicativos de mensagem abaixo:

blank
WHATSAPP: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.