Foto: Prefeitura do Guaruja

A tradicional Regata Santos-Rio, que chega à sua 73ª edição, promete ser um evento inesquecível para todos os amantes do mar e do céu. No dia 27 de outubro, a partir das 9h30, o Iate Clube, localizado em Guarujá, será o ponto de partida para essa grande competição. E, para abrilhantar ainda mais a ocasião, o Navio Veleiro Cisne Branco, símbolo da Marinha do Brasil, estará presente, trazendo todo o seu glamour e história. Mas as surpresas não param por aí! Antes da largada oficial, os céus de Santos serão tomados pelas acrobacias da Esquadrilha da Fumaça, da Força Aérea Brasileira, garantindo um espetáculo visual para todos os presentes.

O Percurso e a Missão do Cisne Branco

A regata é conhecida por seus desafios, com um percurso de aproximadamente 200 milhas (360 quilômetros), onde as tripulações enfrentam variações climáticas, ventos e marés. O Cisne Branco, com seus impressionantes 76 metros de comprimento e 32 velas, é uma verdadeira obra-prima da engenharia naval. O comandante da embarcação, capitão-de-mar-e-guerra Sérgio Tadeu Leão Rosário, ressalta a importância do navio: “O Cisne Branco é uma expressão concreta da cultura e tradições navais brasileiras. Ele simboliza a importância da Marinha para o Brasil, reforçando nossa soberania e valores como nação”.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Participação e Inscrições

A 73ª Regata Santos-Rio é aberta a diversos barcos da Classe Oceano, e as inscrições ainda estão disponíveis. Os interessados podem se inscrever através dos Iates Clubes de Santos e Rio de Janeiro, seja por telefone, e-mail ou diretamente nos sites oficiais. Além da participação na regata, o Cisne Branco tem uma agenda movimentada, tendo visitado diversos portos e participado de eventos náuticos renomados em 2023.

Cisne Branco: Um Ícone da Navegação Brasileira

cerimonial a bandeira 03
Navio-Veleiro “Cisne Branco”, da Marinha do Brasil, durante o desfile Naval realizado no dia 13 de fevereiro, na orla do Rio de Janeiro

Construído em Amsterdã e lançado ao mar em 1999, o Cisne Branco é mais do que um navio: é um pedaço da história naval brasileira. Com capacidade para 82 tripulantes, ele representa a grandeza e a tradição da Marinha do Brasil, servindo como inspiração para gerações de velejadores e amantes do mar.

Com info da Prefeitura do Guaruja

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).