A Base Aérea de Santa Cruz foi palco da celebração do Dia da Aviação de Caça durante a RAC 2024, contando com a participação especial do 210° Grupo Escoteiro do Ar Maj. Brig. Meira. Este dia é comemorado em memória do 22 de abril de 1945, uma data marcante para a aviação de caça brasileira, quando pilotos do 1º Grupo de Aviação de Caça (1° GAvCa) realizaram 11 missões em um único dia, durante a Segunda Guerra Mundial no Teatro Europeu. Esta intensa atividade ocorreu em um contexto de perdas significativas e desafios logísticos, refletindo o espírito de resiliência e dedicação dos aviadores brasileiros.

Experiência Enriquecedora para os Jovens Escoteiros

blank

Para os membros do 210° Grupo Escoteiro do Ar, a presença no evento não foi apenas uma oportunidade de observar uma cerimônia militar, mas também um momento educativo profundo. Os jovens tiveram a chance de estar em contato direto com a linha de frente da aviação de caça, observando os procedimentos e operações de aeronaves modernas como o F-39 Gripen, F-5M Tiger II, A-1M e A-29 Super Tucano. Esta experiência serviu para contextualizar e enriquecer os conhecimentos adquiridos nas atividades escoteiras regulares, proporcionando uma visão real sobre as carreiras e tecnologias na aviação militar.

Contribuição do Clube de Veículos Militares Antigos do Rio de Janeiro (CVMARJ)

O evento também contou com a participação do Clube de Veículos Militares Antigos do Rio de Janeiro (CVMARJ), que ocorreu no mesmo local histórico que abriga o 1º Grupo de Aviação de Caça, conhecido como “Jambock”. A presença do CVMARJ enriqueceu significativamente a cerimônia, trazendo um contexto histórico vívido e reforçando o compromisso com a preservação da memória militar brasileira. Os veículos militares antigos e os membros do clube vestidos com uniformes de época fascinaram os escoteiros, que apreciaram a oportunidade de ver de perto essas relíquias bem conservadas e as roupas que marcaram períodos significativos na história militar.

Significado do Evento para a Comunidade Escoteira

A participação neste evento é um exemplo do compromisso dos escoteiros do ar com o aprendizado contínuo e o desenvolvimento de habilidades relevantes não apenas para suas atividades, mas para a vida como um todo. Observar os aviões e interagir com os militares da Força Aérea proporcionou aos jovens uma perspectiva realista e inspiradora sobre o significado do serviço e sacrifício, temas frequentemente explorados nas reuniões escoteiras.

Importância da Presença no Dia da Aviação de Caça

Ao participar de eventos como o Dia da Aviação de Caça, o 210° Grupo Escoteiro do Ar Maj. Brig. Meira reforça o seu papel de fomentar o respeito e o interesse pelos feitos históricos e contemporâneos das Forças Armadas Brasileiras entre os jovens. Essa interação direta com a história e a tecnologia militar serve como um poderoso catalisador para o desenvolvimento pessoal e coletivo dos escoteiros, preparando-os para serem cidadãos conscientes e ativos em sua comunidade e país.

Com informação do 210° Grupo Escoteiro do Ar Maj. Brig. Meira

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).