A data foi criada em homenagem ao nascimento do Coronel de Artilharia Jorge Teixeira de Oliveira. Gaúcho, apaixonado pela Amazônia, ele fez história ao ser o primeiro comandante, ainda como major, do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), de 1964 a 1971, participando do planejamento e implantação da Unidade. A determinação e o amor pela Amazônia fizeram com que pioneiros, como o Coronel Teixeirão, como era conhecido, trabalhassem dia e noite para criar toda a estrutura física e organizacional do CIGS, assim como toda a mística que envolve o Guerreiro de Selva.

A criação do brado “Selva” também é atribuída ao Cel Teixeira. Conta-se que nos primeiros dias do CIGS, não havia, ainda, ficha de serviço de viatura, o que levava a sentinela a perguntar o destino das viaturas que saiam do quartel. Quase sempre a resposta era apressada e precisa: “Selva!”. Era esse o destino. A resposta curta, tão repetida, fez-se saudação espontânea e vibrante, alastrou-se, expandiu o seu significado, ecoou por toda a Amazônia contagiando a todos com o mesmo ideal. SELVA!

Entenda mais o Guerra na Selva.

blank
Equipe da Mídia Especializada no Curso Básico de Guerreiro de Selva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui