No Dia Internacional da Mulher, uma data emblemática para reflexões sobre igualdade e progresso, o General Soares, Chefe do Estado-Maior do Exército (EME), trouxe à Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME) uma perspectiva abrangente sobre os desafios contemporâneos que se apresentam no cenário geopolítico mundial. Sua conferência, direcionada a um público seleto de oficiais-alunos e corpo docente, mergulhou nas complexidades que a Força Terrestre enfrenta e na necessidade de adaptação e inovação diante de um quadro internacional em constante transformação.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Estratégias e projetos: o papel do EME na inovação

Além de uma análise aprofundada da situação geopolítica, o General destacou os principais projetos em andamento no Exército Brasileiro, ressaltando o papel do EME como catalisador do Poder de Combate. Esses projetos não somente visam fortalecer a capacidade defensiva do país, mas também sublinham a importância da tecnologia, da pesquisa e da inovação como elementos chave para a evolução e eficácia militar no século XXI.

Debate e interação: enriquecimento acadêmico

A apresentação do Gen Soares culminou em um rico debate com os oficiais-alunos, proporcionando uma oportunidade única de aprofundamento nas temáticas abordadas. Essa interação direta entre a liderança do Exército e os futuros comandantes e estrategistas militares reforça a importância da educação contínua e do questionamento crítico para o desenvolvimento de líderes capacitados a enfrentar os desafios futuros.

Contribuição ao conhecimento interdisciplinar

A jornada educativa não terminou com a conferência. O Chefe do EME também participou de uma entrevista exclusiva com os oficiais-alunos do Curso de Política, Estratégia e Alta Administração do Exército (CPEAEx), contribuindo para o Projeto Interdisciplinar do corrente ano. Esta colaboração evidencia o comprometimento da alta liderança do Exército com a formação de seus oficiais, promovendo uma cultura de aprendizado contínuo e interdisciplinaridade que é fundamental para a compreensão dos complexos cenários de defesa e segurança nacional.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).