Em um emocionante episódio de tecnologia a serviço da humanidade, um drone operado pelo Exército Brasileiro foi fundamental para salvar vidas em uma situação de emergência em Canoas, Rio Grande do Sul. No final da tarde dessa terça-feira, a aeronave não tripulada localizou um grupo de moradores isolados no topo de um prédio após um evento não especificado que os deixou encurralados.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

A resposta rápida das equipes de resgate

blank

Após a detecção pelos sensores avançados do drone, uma equipe de resgate foi prontamente acionada, demonstrando a eficiência da coordenação entre tecnologia e resposta humana em situações de emergência. Os resgatados, incluindo cinco membros de uma mesma família e dois pets, receberam assistência imediata, reforçando a capacidade das Forças Armadas em prover segurança e socorro à população civil.

A integração entre tecnologia e operações humanitárias

Este incidente ressalta a importância da integração entre as novas tecnologias, como os drones, e as operações humanitárias. A utilização de drones pelo Exército em operações de resgate não é apenas um testemunho da evolução tecnológica, mas também um componente crucial na estratégia de resposta rápida a desastres, potencializando a segurança e a eficácia das missões.

A valorização da Base Industrial de Defesa e a tríplice hélice

O sucesso desta operação destaca também a relevância da Base Industrial de Defesa (BID) e do modelo da tríplice hélice, que envolve a colaboração entre as Forças Armadas, a indústria nacional e a academia. Este modelo de cooperação é essencial para o desenvolvimento de tecnologias avançadas e aprimoramento das capacidades de defesa e segurança do país, como evidenciado pelo uso efetivo de drones em operações de resgate.

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).