Nesta terça-feira, em Brasília, representantes de diversas instituições, incluindo a Indústrias Nucleares do Brasil (INB), Eletronuclear, Amazul Tecnologias de Defesa e Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional (ENBpar), acompanharam o presidente da Frente Parlamentar da Tecnologia e Atividades Nucleares do Congresso, deputado Julio Lopes, em uma reunião com a Ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck. O objetivo foi apresentar a necessidade de fortalecer e impulsionar o setor nuclear nacional.

Defesa da Integração Nacional

blank

Durante a reunião, o deputado Julio Lopes destacou a importância de um parecer técnico da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST), que permita eliminar a exigência de licitações nos contratos entre a Eletronuclear e a Nuclep, ambas estatais brasileiras. “Tive a oportunidade de apresentar à ministra a necessidade de ter um parecer técnico da SEST para acabar com a exigência das licitações nos contratos entre a Eletronuclear e a Nuclep, já que são duas estatais. Fomos criados para atender ao programa nuclear brasileiro para a construção dos equipamentos de usinas nucleares. Não há sentido que sejam adquiridos fora do Brasil, já que a Nuclep é a única empresa hoje no Brasil com todas as certificações e potencial de construir aqui”, defendeu Seixas.

Celeridade na Conclusão de Angra 3

Julio Lopes também afirmou que levará o parecer técnico ao Tribunal de Contas da União (TCU), buscando o aval final para agilizar a conclusão das obras da usina nuclear Angra 3. A celeridade nesse processo é fundamental para atender às demandas energéticas do país e fortalecer a capacidade de produção nacional de energia nuclear.

Participantes da Reunião

Além do deputado Julio Lopes e da ministra Esther Dweck, a reunião contou com a presença de importantes figuras do setor nuclear, como o Diretor Administrativo da Nuclep, Marcello Perillo, e o Chefe de Gabinete, Adeilson Telles. A colaboração entre essas instituições é crucial para o desenvolvimento e fortalecimento do setor nuclear no Brasil.

Importância da Decisão

A eliminação das licitações nos contratos entre Eletronuclear e Nuclep, caso aprovada, representará um avanço significativo para a base industrial de defesa do Brasil, permitindo maior agilidade e eficiência na construção de equipamentos nucleares. Esta decisão fortalecerá a soberania nacional e garantirá que os recursos destinados ao programa nuclear sejam utilizados de forma mais eficaz e estratégica.

Próximos Passos

A próxima etapa será a obtenção do parecer técnico da SEST e a apresentação deste ao TCU. Com o aval final, espera-se que o processo de construção de Angra 3 possa ser acelerado, contribuindo para a diversificação da matriz energética brasileira e o fortalecimento da indústria nuclear nacional.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).