Google News

blank
Imagem: wk003mike/Shutterstock

Pesquisadores da firma de segurança digital ReSecurity extrairam e removeram 950 GB de dados roubados pelo Agent Tesla, um dos malwares mais populares utilizados em ciberespionagem desde 2014. O trojan de acesso remoto (RAT) funcionava quase um canivete suíço do cibercrime, roubando informações que iam desde credenciais e conteúdo digitado até arquivos da área de colagem.

Operando com um esquema “malware-as-a-service” (malware como serviço, ou MaaS), o Agent Tesla fornecia acesso pago a funções do trojan para outros cibercriminosos, que direcionavam as ações ao Centro de Comando (C2). O programa malicioso era normalmente distribuído por correntes de email.

Fonte: DCiber.org