Na madrugada de 25 de maio, uma aeronave de caça A-29 da Força Aérea Brasileira (FAB) foi empregada numa ação de segurança na área da Operação Ágata Uiara. Através de um voo de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (IVR), identificou-se uma pista de pouso não homologada no município de Barcelos (AM).

Descobrimento da Aeronave Camuflada e Entorpecentes

blank

Após a identificação da pista ilegal, equipes da Marinha do Brasil (MB), do Exército Brasileiro (EB) e da FAB enviaram tropas ao local. Em um acampamento provisório, foi encontrada uma aeronave camuflada, coberta por galhos e folhas de árvore, com aproximadamente 400 kg de entorpecentes, incluindo cocaína, skank e maconha.

Ação do PARA-SAR e Apoio Aéreo

Os desafios de uma operação na região de floresta densa foram superados pela atuação do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARA-SAR), que abriu uma clareira de 20 metros para que a aeronave H-60L (Black Hawk) pudesse pousar com segurança, transportando 14 operadores especiais, dentre eles, dois Policiais Federais. Além disso, um UH-12 da Marinha realizou sobrevoo na área, transportando operadores especiais para Santa Isabel do Rio Negro e Tefé, cidades próximas ao local da operação.

A Importância da Operação Ágata Uiara

O General de Brigada Ricardo Moussallem, Chefe do Estado-Maior Conjunto, salientou a importância da operação. “O emprego do poder aeroespacial na situação de incertezas da região de floresta é essencial para assegurar o sucesso da operação de combate a ilícitos e garantir a segurança da tropa no terreno”, destacou. A Operação Ágata Uiara, coordenada pelo Ministério da Defesa e iniciada em maio, tem como foco o combate a crimes transfronteiriços e ambientais, além de reforçar a presença do Estado Brasileiro na região fronteiriça entre Brasil, Peru e Colômbia, em cooperação com agências governamentais e órgãos federais, estaduais e municipais.