SAUDAÇÃO AOS OFICIAIS-GENERAIS RECÉM-PROMOVIDOS

Tradicionalmente, cabe ao Chefe do Estado-Maior do Exército, por delegação de nosso Comandante, o General de Exército TOMÁS MIGUEL MINÉ RIBEIRO PAIVA, em nome da nossa Instituição, saudar os oficiais-generais recém-promovidos.

Seguindo as nossas tradições castrenses e a necessária renovação meritocrática dos nossos quadros, reunimo-nos nesta data marcante para solenizar a promoção de seis oficiais-generais. Um oficial general de exército que passa a compor o Alto-Comando do Exército, um oficial general de divisão e quatro generais de brigada. Postam-se perfilados a nossa frente, militares que atingem o ápice da hierarquia militar, fruto de uma profícua, sólida e virtuosa carreira.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Destaco, porém, que minhas palavras têm como objetivo principal saudar os novos generais de brigada, que, hoje, terão o privilégio de receber a réplica do invencível gládio do Marechal Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, Patrono do Exército Brasileiro.

Entre todos os chefes que participaram de eventos históricos, Caxias nos é particularmente caro. Síntese dos mais nobres valores militares, soldado por devoção irrestrita, estrategista vitorioso e estadista por vocação, Caxias personificou todas as virtudes que a vida castrense nos exige. Fruto de seu perfeito sentimento de brasilidade, cumpriu seu dever com competência, ajudou a consolidar a Nação – interna e externamente – e, invicto, porém magnânimo, jamais desrespeitou os vencidos.

Em um simbolismo todo particular, aqui se encontram nossos cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, detentores da réplica do sabre de Caxias, conduzindo as espadas que os seus paraninfos lhes entregarão em poucos instantes. Tanto eles, quanto os senhores, representam a essência da nossa hierarquia militar.

Que orgulho pertencer a um Exército cujos Patronos das Armas, Quadros e Serviços, Heróis e Chefes Militares do passado, foram, sem exceção, exemplos de probidade, integridade e dedicação ao Exército e ao Brasil! Sem dúvida, estas personalidades históricas e seus legados nos são fonte de inspiração e personificam nossos mais nobres valores castrenses cultuados e que devem ser sempre iluminados.

Jovens generais! Sob a proteção da espada de Caxias, os senhores comandarão homens e mulheres, brasileiros das mais diferentes origens, preparando a Força Terrestre para a defesa da Pátria e para a garantia dos poderes constitucionais, da Lei e da Ordem; missão constitucional de nossas Forças Armadas, apolíticas e apartidárias. Usarão sua larga experiência para conduzir organizações militares que recebem, anualmente, milhares de jovens, futuro da nação.

Lembrem-se que vocês foram escolhidos pelo Alto-Comando do Exército, em processo de seleção criterioso, dentre os oficiais que ombreiam com os senhores há, aproximadamente 35 anos, na caserna, desde os idos acadêmicos, compartilhando experiências e vivenciando vicissitudes.

Portanto, jovens generais, honrem e dignifiquem estes companheiros que, com certeza, onde estiverem, neste exato momento, regozijam por suas conquistas.

Nunca se olvidem que somos profissionais da guerra. Não permitam que a inépcia os imobilize ou se apresentem alquebrados. A guerra nunca deixará de existir. É da natureza humana. Doravante, permeará a sociedade, de uma forma mais complexa, mais penetrante, encoberta e sutil.

A guerra segue sendo um fenômeno violento e cada vez mais complexo. Hoje, mísseis, drones e satélites são usados em concomitância com blindados, artilharia e o combate aproximado.

Nossos combatentes têm que dominar os meandros da era digital sem se descuidar do combate à baioneta. Coragem, camaradagem e perseverança seguem sendo características fundamentais de nós, os profissionais da guerra.

O Brasil, por suas imensas potencialidades e riquezas, é alvo constante de cobiça difusa. Os senhores têm a missão de liderar seus subordinados a fim de manter as porteiras incólumes de nosso território, defendendo-as com o sacrifício da própria vida, se preciso for!

Temos, ainda, o desafio, como profissionais das Armas, de despertar a conscientização das lideranças nacionais e da população em geral para a relevância do tema – Defesa. A outra opção é aceitar sermos peões sacrificáveis no jogo da guerra da próxima geração.

Por fim, parabenizo seus entes queridos, que caminharam lado a lado com os senhores nessa longa empreitada. Eles mudaram inúmeras vezes de guarnição, em nosso País continente. Fizeram novas amizades e delas se afastaram. Estudaram em colégios e universidades de diferentes níveis e currículos. Sentiram a ausência dos senhores, nos inúmeros momentos de afastamento impostos pelo serviço. Foram e serão o apoio incondicional em todas as agruras que a vida militar nos imputa. Vibram com suas conquistas profissionais. Não há ocasião mais adequada para reconhecer e agradecer, em palavras e pensamentos, essa longa e incansável jornada de sacrifício e doação.

Caros generais de brigada recém-promovidos, cultuem o exemplo como pedra basilar da liderança e façam da presença a força propulsora da motivação e da dedicação integral de seus comandados.

Estimados generais! Perante seus entes mais queridos e amigos, receberão o símbolo da autoridade plena que, ao longo de nossa história, esteve sempre a serviço da justiça e da nação. Forjada e temperada pela mão de heróis – muitos dos quais não hesitaram em tombar para manter íntegros nossos valores democráticos – a espada que hoje recebem é a lídima herança destes inúmeros bravos, dos quais Caxias é o exemplo maior. A instituição, senhores generais, reconheceu-os dignos depositários deste inestimável relicário.

Sejam felizes e que o senhor dos Exércitos os acompanhe!

 

General de Exército FERNANDO JOSÉ SANT’ANA SOARES E SILVA
Chefe do Estado-Maior do Exército

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).