No dia 22 de maio, o Navio-Patrulha Fluvial (NPaFlu) “Rondônia” destacou-se ao realizar uma importante apreensão de drogas durante ações de Patrulha Naval no rio Japurá. A operação, que faz parte do esforço conjunto denominado Operação “Orion / Ágata 2º trimestre”, resultou na interceptação de uma embarcação avariada e no resgate de dois tripulantes acidentados.

Abordagem e Resgate

blank
Substâncias entorpecentes encontradas durante a inspeção naval

Durante a patrulha, a equipe do NPaFlu “Rondônia” identificou uma embarcação com danos na proa e prestou assistência imediata aos dois ocupantes feridos. A equipe médica do navio agiu prontamente, estabilizando os acidentados, que foram posteriormente encaminhados para continuidade de atendimento médico na unidade de saúde de Maraã (AM).

Apreensão de Drogas

Enquanto a equipe médica cuidava dos feridos, uma Inspeção Naval minuciosa foi realizada na embarcação. Na bagagem de um dos passageiros, foram encontrados 12 kg de substâncias entorpecentes do tipo “skunk”. O indivíduo foi detido e, juntamente com o material apreendido, encaminhado para a 60ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Maraã (AM).

Operação “Orion / Ágata 2º Trimestre”

A operação na qual o NPaFlu “Rondônia” está inserido é um esforço conjunto entre a Marinha do Brasil e a Armada da República da Colômbia. A Operação “Orion / Ágata 2º trimestre” tem como objetivo fortalecer a presença do Estado nas regiões de fronteira, contribuindo significativamente para a redução de delitos transfronteiriços e ambientais. Essa cooperação entre as forças navais dos dois países visa intensificar o patrulhamento e as ações de fiscalização, garantindo maior segurança e controle na área.

Importância da Ação

A apreensão realizada pelo Navio-Patrulha Fluvial “Rondônia” demonstra a eficácia das operações conjuntas de patrulhamento naval na prevenção e combate ao tráfico de drogas e outros crimes na região. A presença constante da Marinha do Brasil nas águas do rio Japurá é crucial para manter a segurança e a soberania na região amazônica, além de proteger as comunidades ribeirinhas e o meio ambiente.