O Ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, recebeu em seu gabinete, na sede da Pasta, a visita do presidente do Conselho Temático da Indústria de Defesa e de Segurança (Condefesa) e vice-presidente Executivo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Glauco José Côrte.

Na audiência, realizada na quinta-feira (28), as autoridades abordaram a parceria do Condefesa com a CNI e o Ministério da Defesa para o desenvolvimento da Base Industrial de Defesa (BID), setor que representa 4,78% do Produto Interno Bruto (PIB) e bateu recorde de exportações em 2021 com a comercialização de US$ 1,7 bilhão para o exterior.

Também estiveram presentes o Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (Cemcfa), General de Exército Laerte de Souza Santos; o Secretário de Pessoal, Saúde e Desporto e Projetos Sociais (Sepesd), Tenente-Brigadeiro do Ar R/1 Jeferson Domingues de Freitas; e o Diretor de Financiamentos e Economia de Defesa, Major-Brigadeiro do Ar Marcos Aurélio Pereira Silva.

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui