blank
Representantes brasileiros e franceses durante a 25ª Reunião do CCCBF

Google News

O Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM), Almirante de Esquadra Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, acompanhado por representantes da Marinha do Brasil (MB), do Ministério das Relações Exteriores, do Ministério da Economia e da Advocacia-Geral da União, co-presidiu, no dia 19 de maio, a 25ª Reunião do Comitê de Cooperação Conjunto Brasil-França para Submarinos (CCCBF), realizada em Paris.

Entre no canal do Defesa em Foco no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

A reunião teve por objetivo mensurar e apresentar os avanços no Programa de Submarinos (PROSUB), no período compreendido entre o 2º semestre de 2021 e os dias atuais. Esse detalhamento consistiu na avaliação das metas contratuais da construção dos quatro submarinos diesel-elétricos (S-BR) da Classe “Riachuelo”, da infraestrutura industrial do Complexo Naval de Itaguaí (CNI) e da obtenção do primeiro Submarino convencionalmente armado com Propulsão Nuclear (SCPN).

O CCCBF, criado em decorrência do Acordo assinado em 23 de dezembro de 2008 entre os Governos do Brasil e da França, tem o propósito de supervisionar a adequada execução das cooperações definidas no Acordo, manter-se atualizado sobre o progresso dos contratos subsequentes, pesquisar e implementar soluções apropriadas ao surgimento eventual de óbices na cooperação, alinhavar a prestação de contas de seus trabalhos a cada semestre e, sobretudo, contribuir para fortalecer os laços de amizade e parceria estratégica entre as duas Nações.

blank
Encontro da Comitiva da Marinha do Brasil com
os soldadores brasileiros

Nos dias que antecederam a reunião do CCCBF, a Comitiva da MB, atendendo a um convite da Naval Group (NG), visitou o estaleiro da empresa em Cherbourg, onde são construídos os submarinos nucleares de ataque da Marinha Nacional Francesa (MNF). Na ocasião, a Comitiva percorreu as principais instalações industriais, conheceu o processo construtivo dos submarinos da Classe “Barracuda” e encontrou os 16 soldadores brasileiros que estão trabalhando na construção daqueles submarinos, mantendo suas qualificações profissionais.