No dia 24 de maio, a Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM) e o Sindicato Nacional das Indústrias de Materiais de Defesa (SIMDE) realizaram uma reunião na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) para discutir e promover iniciativas de inovação tecnológica e desenvolvimento de produtos de defesa.

Objetivo do Encontro

blank
DGDNTM e SIMDE durante encontro na sede da FIESP

O encontro teve como objetivo principal detalhar os programas e projetos da Marinha e do SIMDE, além de fortalecer as parcerias entre as instituições. Esta reunião foi um desdobramento da apresentação do Almirante de Esquadra Alexandre Rabello de Faria, Diretor-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, durante a Reunião Plenária Conjunta do Departamento de Defesa e Segurança (DESEG) e do SIMDE, realizada no início do mês.

Apresentações e Debates

Durante o evento, o Vice-Almirante Alfredo Martins Muradas, Assessor de Ciência, Tecnologia e Inovação da DGDNTM, apresentou o Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha do Brasil. Ele destacou o compromisso da Marinha em investir na pesquisa, desenvolvimento e inovação (P&D&I) no setor de defesa, evidenciando os programas e projetos em andamento.

Por sua vez, o Diretor do SIMDE, André Roncolato, destacou a criação do Comitê de Inovação, cujo objetivo é facilitar a troca de experiências e informações com instituições de pesquisa e desenvolvimento. Além disso, ele apresentou dados significativos sobre a Base Industrial de Defesa, revelando seu impacto econômico.

Impacto Econômico da Base Industrial de Defesa

  • Empregos Gerados: 2,96 milhões de empregos diretos e indiretos.
  • Contribuição ao PIB: O setor corresponde a 4,46% do PIB brasileiro diretamente.
  • Retorno de Investimento: Cada R$ 1,00 investido resulta em R$ 9,80 no PIB.
  • Negócios em Andamento: US$ 4,5 bilhões.
  • Negócios em Potencial: US$ 5 bilhões.
  • Exportações Projetadas: US$ 1,31 bilhão até agosto de 2031.

Participantes e Conclusões

A reunião contou ainda com a participação do Vice-Presidente Executivo do SIMDE, José Cláudio Manesco, e do Vice-Presidente de Relações Institucionais, Brigadeiro Nilson Carminati. O encontro reafirmou o compromisso conjunto da Marinha e do SIMDE em investir e fomentar a pesquisa, desenvolvimento e inovação no setor de defesa, fortalecendo a parceria entre as instituições. A colaboração estreita é essencial para o avanço tecnológico e a defesa nacional, destacando a importância da união de esforços para o progresso do Brasil.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).