Os recursos da inteligência artificial já alcançam o campo militar e é uma das novas tecnologias dominadas pela Mac Jee, empresa brasileira especializada em sistemas de defesa. É o caso do DAGGER, um kit de orientação de munição aérea com sensores eletrônicos, visão computacional e extensão de alcance (mais de 120 km) que foi desenvolvido para atingir alvos fixos e móveis, incluindo terra, mar e alvos de longo alcance, com alta precisão. Além de preservar a segurança da aeronave e da tripulação, o sistema possui recursos como disparar e esquecer, e um alcance visual (BVR) que aumenta a proteção da operação.

blank

Desenvolvido exclusivamente pela Mac Jee, os sensores avançados do DAGGER garantem alta precisão em ambientes hostis com pouca visibilidade, em diversas condições climáticas. Combinado com a aquisição automática de alvo, antena anti-spoofing e sistema inercial de alto grau, o equipamento detecta, classifica e fornece uma análise morfológica da cena para localizar e superar bloqueios ou falsificações de GPS, navegação e erros de localização de alvos.

Segundo Alessandra Stefani, CEO da Mac Jee, o objetivo da empresa com a criação da linha DAGGER é liderar a inovação e o domínio de tecnologias de munições aeronáuticas guiadas. “A DAGGER foi projetada para simplicidade, baixa manutenção, modo de guiamento adaptativo exclusivo e para ser içado com o carregamento da aeronave hospedeira usando qualquer equipamento de guincho SHOLS ou um carregamento SATS móvel”, completa a executiva.

Outra novidade em relação ao produto é a utilização da tecnologia de inteligência artificial em dois modos: autônomo e Designado. No modo autônomo, o sistema possui dois submodos: detecção ou fixo. No modo fixo, o sistema atinge o solo usando uma coordenada pré-programada e um perfil de ataque, enquanto no modo detecção, o sistema usa seu sensor EOS / MWIR (Electro Optical / Mid Wave Infra-Red) para localizar um alvo fixo ou em movimento de acordo com uma lista de alvos prioritários pré-programados na memória.

Já no modo Designado, o sistema detecta os alvos da mesma forma que no modo detecção, porém, utiliza seu datalink (DBTT – Dual-Band Telemetry and Remote Control) para que a aeronave em operação de loteamento ou qualquer outro elemento que possua DBTT instalado possa determinar o alvo. O sistema DBTT envia ao designador informações sobre atitude e navegação da bomba, geoposição do alvo, MTI, imagens e possíveis alvos com suas características já classificadas. O DBTT pode operar em modo revezamento, ampliando o alcance e estendendo a missão além de uma única operação de aeronave. “O DAGGER utiliza em todos os métodos tecnológicos de IA a estrutura da Albatross Indústria Aeronáutica, parceira da Mac Jee no projeto”, finaliza Alessandra.