IVECO inicia 2021 com expansão de capacidade operacional

blank

Após um 2020 de elevado crescimento, onde a montadora cresceu +30% ante um mercado que apresentou queda de -11%, a IVECO anuncia a contratação de mais 478 colaboradores temporários, para o complexo industrial de Sete Lagoas (MG), que reforçarão a produção, visando atender à alta procura por produtos da marca.

Em outubro do ano passado, a IVECO já havia contratado 272 temporários para a fábrica, totalizando 750 novas vagas no período que engloba até o primeiro semestre deste ano. A montadora atravessa um bom momento e continua enxergando boas perspectivas para 2021.

Para Márcio Querichelli, líder da IVECO para a América do Sul, esse movimento prepara a marca para os desafios deste ano que se inicia, considerando o aumento da demanda por caminhões nos segmentos, principalmente, de varejo, agronegócio e vocacionais. “Nosso time está pronto para manter a IVECO em alta e as contratações são necessárias para atendermos o crescimento do mercado. Esse é o resultado do novo momento da montadora no país, consolidando fortes investimentos e a renovação de seu line-up nos últimos anos.”

Inaugurada em 2000, a fábrica da IVECO foi planejada a partir dos conceitos do World Class Manufacturing (WCM), um dos mais elevados padrões de qualidade da indústria global para o gerenciamento integrado de fábricas e produção, e tem como destaque o Centro de Desenvolvimento de Produto (CDP), que reúne especialistas de diversas áreas com o objetivo de desenvolver novas tecnologias e produtos que proporcionam mais produtividade para o operador com eficiência energética.

Referência 

A fábrica da IVECO Defence Vehicles, em Sete Lagoas (MG), alcançou o nível bronze no programa World Class Manufacturing (WCM), um dos mais altos padrões da indústria de manufatura no mundo. O reconhecimento representa importante conquista para a planta na busca constante por melhorias de processos e excelência de produção.

Inaugurada em 2013, a estrutura tem 30 mil m², sendo 18 mil de área coberta (produção e logística), e foi a primeira a fabricar produtos de defesa fora da Europa. O primeiro produto nacional foi a Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (VBTP-MR), mais conhecido como Guarani, fruto da parceria da empresa com o Exército Brasileiro. Mais de 450 unidades foram entregues aos militares até agora.

“Essa conquista é resultado do esforço e da competência de toda a nossa equipe de Sete Lagoas. A planta de defesa é extremamente complexa e tem um processo 100% manual, que depende de muita qualificação e dedicação de todos os operadores. Temos ainda uma área de solda de aço balístico, que demanda uma expertise muito específica”, afirma Izidro Penatti, diretor Industrial da planta.

Com capacidade para transportar até onze pessoas, o Guarani pesa 18 toneladas, possui tração 6X6, pode chegar a 110 km/h e tem função anfíbia. Além de ar-condicionado, apresenta uma série de inovações tecnológicas, como sistema automático de detecção e extinção de incêndio e baixa assinatura térmica (o que dificulta sua localização), entre outros.

“Temos feito um trabalho consistente em todo o nosso complexo industrial, não apenas na fábrica de defesa, mas também na de veículos comerciais e, também, na de motores, que completaram 20 anos em 2020. Seguiremos com as melhores práticas do WCM, aperfeiçoando cada vez mais os nossos processos e a produção industrial”, completa Penatti.

WCM

O WCM está presente em todas as unidades produtivas da marca no mundo e trabalha no aprimoramento constante de gestão e processos, visando a eliminação de desperdícios de qualquer espécie (energia, materiais e capital humano) e reduzindo custos e prazo de entrega.

Guarani

As unidades entregues ao Exército Brasileiro são usadas em missões de pacificação e em operações de combate ao crime organizado nas regiões fronteiriças do país. A plataforma do blindado pode ser usada como base para o desenvolvimento e a produção de uma família de blindados em diferentes versões, entre as quais viaturas de reconhecimento, socorro, posto de comando, porta-morteiro e ambulância.

O blindado conta com o motor Cursor 9 Euro V, da FPT Industrial. O Cursor “militar” foi configurado para entregar 380 cv. Especialmente para aplicação no Guarani, o motor recebeu reforços para atender as exigências da aplicação militar. A começar pela blindagem no alternador, responsável por gerenciar as fontes de energia elétrica como a bateria, e no módulo eletrônico de injeção de combustível. Além de estar blindado, o módulo foi montado em uma área mais protegida do veículo. As tampas do cabeçote do motor, originalmente de plástico, foram trocadas por tampas de ferro fundido.

Forte aceleração e respostas rápidas. Essas características marcam o desempenho do motor Cursor 9, e são resultantes das altas pressões de injeção de diesel do sistema eletrônico do motor, que favorecem a pulverização do combustível na câmara de combustão, e, consequentemente possibilitam uma queima mais eficiente. Para se ter uma ideia, a pressão de injeção de um motor a gasolina convencional em um carro popular chega a três bar, enquanto o motor da FPT Industrial entrega 1.800 bar. Além de potente e forte, o motor tem uma vida útil de 8.000 horas.

Fonte: Portal BIDS

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!

Receba nossas notícias em tempo real através dos aplicativos de mensagem abaixo:

blank
WHATSAPP: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.