Inteligência Cibernética e a Linguística Forense como ferramenta – o uso da análise linguística para atribuição de autoria em ciberataques

blank

Em 12 de maio de 2017, o mundo assistiu perplexo à propagação de um violento crypto-ransomware que varreu o ciberespaço, sequestrando computadores ao redor de todo o planeta. O malware ficou conhecido com o nome de WannaCry. Este ataque por ransomware – modalidade de ciberataque que criptografa o conteúdo de computadores, bloqueando o acesso a este conteúdo e exigindo resgate em dinheiro -, paralisou empresas, órgãos governamentais, bancos, operadoras de telefonia, como a Telefónica, na Espanha, e atingiu até mesmo hospitais que necessitaram paralisar cirurgias ao se verem sem acesso ao prontuário de seus pacientes. Nunca a Rede Mundial de computadores esteve tão perto de algo semelhante a uma Guerra Cibernética quanto durante este ataque que revelou a fragilidade de nossas infraestruturas críticas de informação e a facilidade que um simples código mal intencionado tem de causar efeitos devastadores em escala planetária.

Se dados como códigos-fontes, IPs e contas blockchain não permitem muito avanço na atribuição de autoria em ataques por ransomware, o manifesto de pedido de resgate traz informações que permitem análise linguística e perfilamento de seus autores.

Leia o artigo completo no Núcleo de Estudos Estratégicos em Defesa e Segurança

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!

Receba nossas notícias em tempo real através dos aplicativos de mensagem abaixo:

blank
WHATSAPP: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui