No período de 23 a 28 de junho, a equipe de robótica do Instituto Militar de Engenharia (RoboIME) foi vice-campeã da categoria “Small Size League” (SSL) de futebol de robôs da Robocup, maior competição de robótica do mundo, que ocorreu pela primeira vez de forma remota. A competição contribui para o desenvolvimento dos atributos da área afetiva como cooperação, criatividade, decisão e persistência. Já nos campos da ciência, tecnologia e inovação, desenvolve novos desafios nas áreas de inteligência artificial, eletrônica e mecânica, que podem ser utilizados no desenvolvimento de projetos militares, dentre eles, o sistema de armas e equipamentos inteligentes como mísseis, veículos aéreos não tripulados (VANT) e veículos militares. A campeã foi a University of British Columbia, do Canadá.

blank

Confira abaixo a campanha da RoboIME na competição:

RoboIME 5 x 0 Tritons RSCS – University of California (EUA);
RoboIME 5 x 1  RoboTeam Twente – University of Twente (Países Baixos);
RoboIME 10 x 0  Omid – Shared University (Irã);
RoboIME 6 x 0  RoboTeam Twente – University of Twente (Países Baixos);
RoboIME 2 x 0  RoboJackets – Geórgia Tech (EUA) (Semi-final)
RoboIME 0 x 1 UBC Thunderbots – University of British Columbia (Canadá)

Small Size League

A SSL é o projeto mais antigo da RoboIME, que teve início em 2010. O objetivo da categoria é desenvolver um time de seis robôs autônomos que joguem futebol sem interferência humana, realizando passes, jogadas ensaiadas e chutes em um campo de 6 metros de largura por 9 metros de comprimento.

O foco da competição da SSL está no problema da cooperação e no controle multiagente inteligente, ou seja, é necessário fazer com que os robôs joguem como um time, fazendo passes e jogadas. Vence a equipe que fizer mais gols que o time adversário, semelhante ao futebol convencional. Na competição, a final foi definida na prorrogação, com um gol.

Fonte: IME
Marcelo Barros, com informações e imagens do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui