blank

Google News

Entre os dias 5 e 7 de outubro, a INB participou do Exercício Guardião Cibernético 3.0, em Brasília/DF, coordenado pelo Comando de Defesa Cibernética (ComDCiber), do Governo Federal. O exercício simulou ameaças virtuais a setores prioritários para a segurança nacional, como água, energia, telecomunicações, finanças, transporte e nuclear. Para cada um, foram propostas atividades diferentes, relacionadas com suas realidades e particularidades.

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

No setor nuclear, foram simulados incidentes cibernéticos que se agravaram com o passar do tempo. As situações exigiam a participação de setores distintos de uma empresa. Por isso, neste ano, a INB foi representada por uma equipe multidisciplinar, com integrantes das áreas de tecnologia da informação, comunicação social, jurídica e de segurança da informação.

“Durante o evento tivemos a oportunidade de conhecer com mais detalhes o funcionamento de uma planta nuclear, bem como trocar experiências e conhecimentos com os demais órgãos (Eletronuclear, CTMSP, CNEN) do setor nuclear. Foi uma experiência única e que demonstrou que a INB está comprometida em desenvolver a segurança cibernética e treinar suas equipes para responder a incidentes cibernéticos graves”, afirma Fernando Akira Mogami, da Gerência de Tecnologia da Informação da INB.

Importância do exercício

De acordo com o Ministério da Defesa, este é o maior treinamento para proteção cibernética do hemisfério sul, e esta terceira edição contou com 350 participantes civis e militares de 65 organizações. Na quarta-feira, dia 6, os ministros Walter Braga Netto, da Defesa, e Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, prestigiaram o exercício. Eles estiveram na sala de treinamento do setor nuclear, onde puderam ver de perto como era realizada a simulação.

“Repetidas vezes as autoridades reforçaram que é grande a preocupação da nação neste tema e que devemos estar treinados para responder”, informa Mogami.

A INB participa do evento desde a primeira edição, atuando também no planejamento e execução do exercício.