A INB finalizou, no último dia 20/12, a produção dos 44 elementos combustíveis para a 26ª Recarga de Angra 1. A previsão é que o transporte para a usina nuclear seja iniciado em fevereiro. No momento, a empresa se prepara para iniciar, em janeiro, a produção de 52 elementos para a 17ª Recarga de Angra 2.

O superintendente de Produção do Combustível, Marcelo Sobral, considerou que a produção para a 26ª Recarga de Angra 1 seguiu normalmente os prazos apesar da pandemia do novo coronavírus. De acordo com Sobral, a ideia era encerrar a produção antes do final do ano com objetivo de utilizar a suplementação orçamentária recebida em 2020 para acelerar o faturamento. Vale lembrar que, em abril deste ano, a INB concluiu a 16ª Recarga de Angra 2.

A recarga é o processo de reabastecimento de uma usina nuclear por meio da substituição de elementos combustíveis descarregados por novos. Estes elementos são estruturas metálicas, com até 5 metros de altura, formadas por um conjunto de tubos, chamados de varetas, que recebem as pastilhas de urânio enriquecido. A  etapa após a produção é o transporte até as usinas.

Fonte: INB

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui