Google News

A Marinha do Brasil receberá, nos dias 19 e 20 deste mês, a visita de uma comitiva da Organização das Nações Unidas (ONU), para avaliar as capacidades de um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais como Força de Reação Rápida (em inglês Quick Reaction Force – QRF). A visita tem o propósito de certificar a capacidade do Grupamento para ascender ao nível 2, como QRF, no Sistema de Prontidão de Operações de Paz das Nações Unidas. Essa ascensão dará ao Brasil condição básica para uma futura participação em operações de paz.

O Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais de Força de Paz (GptOpFuzNav-FPaz) é composto por 220 militares da Força de Fuzileiros da Esquadra. Ele está sendo preparado para a inspeção da ONU desde maio, na área do Complexo Naval da Ilha do Governador (CNIG), no Rio de Janeiro.

blank
A Comitiva de Oficiais-Generais avaliou a prontificação dos meios

No dia 13 de julho, o Comandante de Operações Navais, Almirante de Esquadra Alipio Jorge Rodrigues da Silva, e o Comandante-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, Almirante de Esquadra (FN) Jorge Armando Nery Soares, avaliaram o nível de preparação desses militares, realizando um percurso pelos principais pontos do CNIG. As autoridades foram recepcionadas pelo Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, Vice-Almirante (FN) Carlos Chagas Vianna Braga.

A visita teve a presença de Oficiais Generais do Corpo de Fuzileiros Navais e da imprensa. Durante o percurso, todos os participantes tiveram a oportunidade de observar o GptOpFuzNav-FPaz, realizando a demonstração de tarefas operativas de uma Companhia de Reação Rápida; visitar as instalações da Base de Operações Temporária do Grupamento e o Centro de Operações de Paz de Caráter Naval, local de preparo para missões de paz no âmbito da Marinha, pertencente ao Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC).

blank
Vista aérea da Base de Operações Temporária do GptOpFuzNav-FPaz