Em um esforço coordenado para proteger a Terra Indígena Yanomami, o Grupo de Embarcações de Operações Ribeirinhas do Amazonas (GrEOpRibAM) se uniu à Operação “Catrimani II” no dia 6 de junho. Equipados com a Lancha de Operação Ribeirinha Blindada – Tipo Excalibur, os militares intensificam a segurança na Foz do rio Catrimani, em Roraima, contra atividades ilegais de garimpo.

Composição e Missão do GrEOpRibAM na Operação “Catrimani II”

blank

Detalhes sobre a criação e objetivos do GrEOpRibAM

O GrEOpRibAM, subordinado ao Comando da Flotilha do Amazonas e sediado em Manaus (AM), foi oficialmente criado pela Portaria nº 36/MB/MD, de 24 de fevereiro de 2021. Sua principal missão é proporcionar maior poder ofensivo e mobilidade nas operações navais, especialmente em áreas ribeirinhas. O grupo tem como objetivo garantir a segurança e a integridade dos meios navais, além de proteger as águas e as populações ribeirinhas das atividades ilegais, como o garimpo clandestino.

Equipamentos e embarcações utilizadas

Para cumprir suas missões, o GrEOpRibAM conta com embarcações especialmente projetadas para operar nas difíceis condições dos rios amazônicos. Entre elas, destaca-se a Lancha de Operação Ribeirinha Blindada – Tipo Excalibur, uma embarcação altamente resistente e equipada com armamentos modernos. Além disso, o grupo conta com o apoio do Navio-Patrulha Fluvial (NPaFlu) “Raposo Tavares”, que serve como base móvel para os militares, oferecendo suporte logístico e operacional.

Papel específico na operação e áreas de atuação

Na Operação “Catrimani II”, o GrEOpRibAM desempenha um papel essencial na patrulha e na segurança das águas da Foz do rio Catrimani, em Roraima. Sua presença é crucial para inibir e combater atividades de garimpo ilegal, que têm causado sérios danos ambientais e ameaçado a segurança das comunidades locais. Os cinco militares destacados para esta missão têm a responsabilidade de guarnecer as embarcações, operar os armamentos e assegurar que todas as ações sejam conduzidas de acordo com as diretrizes operacionais.

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui