A Força Aérea Brasileira (FAB), em uma demonstração clara de comprometimento e eficiência, mobilizou equipes e embarcações da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA) para atender às urgentes necessidades das comunidades afetadas pela estiagem no Estado do Amazonas. A operação Conjunto AMANACI, ativada pelo Ministério da Defesa, é um marco no apoio logístico e humanitário, envolvendo não apenas a FAB, mas também a Marinha do Brasil (MB) e o Exército Brasileiro (EB), em uma coordenação impecável que reflete o potencial da integração militar em situações de crise.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Logística Complexa e Humanidade

A jornada logística, que partiu de Manaus rumo ao município de Moura, não foi apenas uma questão de transporte, mas um ato de solidariedade palpável. Com oito militares e quatro civis, o comboio fluvial da COMARA transportou 18 toneladas de alimentos e 10.000 litros de combustível, fundamentais para a subsistência e mobilidade das comunidades locais. A base logística estabelecida em Moura, no dia 18 de fevereiro, serviu como um ponto crucial para a distribuição de cestas de mantimentos, realizada com o apoio do 3° Batalhão de Infantaria de Selva do Exército Brasileiro, ao longo do Rio Unini.

Eficiência e Coordenação Estratégica

A capacidade de coordenação e planejamento estratégico, destacada pelo Vice-Presidente da COMARA, Coronel Aviador Tiago Cortat de Melo, ressalta a eficiência das Forças Armadas Brasileiras em responder a desafios complexos. Esta operação não só reflete a prontidão militar em contextos adversos, mas também a sua humanidade, ao garantir que a ajuda chegue a quem mais precisa.

Compromisso Permanente com a Amazônia

O Comando Operacional Conjunto AMANACI simboliza o compromisso permanente do estado brasileiro com a proteção e defesa civil nas áreas mais remotas da Amazônia. Iniciada em resposta à severa estiagem que atinge o estado, a operação tem um objetivo claro: garantir o transporte de mantimentos, água potável e medicamentos para as comunidades, demonstrando a capacidade do Brasil de cuidar de seus cidadãos, independentemente da distância ou dificuldade.

Marcelo Barros, com informações da Agência Força Aérea
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).