Nos dias 14 e 15 de outubro, o Pelotão de Perfuração e Instalação de Poços do 3º Batalhão de Engenharia de Construção (3º BEC) realizou a perfuração dos dois primeiros poços artesianos da Operação Sertão Paraibano. A atividade, coordenada pelo 1º Grupamento de Engenharia (1º Gpt E), constitui-se da realização de trabalhos de engenharia para suprimento de água por meio da perfuração e instalação de 87 poços artesianos tubulares em assentamentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). Nesta primeira etapa, está prevista a instalação de três poços.

A operação teve início no dia 11 de outubro, quando o destacamento precursor da Operação Sertão Paraibano, constituído pelo pelotão do 3º BEC, recebeu a ordem de movimento e iniciou o deslocamento, a partir de Picos (PI), rumo ao local do primeiro objetivo, em São Mamede (PB).

A fração do 3º BEC é composta por 16 militares e um servidor civil e utiliza o seguinte maquinário: uma perfuratriz, um compressor de ar e um caminhão Munck. Sob a coordenação do 1º Gpt E, o batalhão também receberá, sob controle operacional, equipes especializadas dos 1º, 2º e 4º Batalhões de Engenharia de Construção e 7º Batalhão de Engenharia de Combate (7º BE Cmb).

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Operação Sertão Paraibano
A Operação Sertão Paraibano tem como principal objetivo amenizar os efeitos da seca nos assentamentos do INCRA na Paraíba. Muitas dessas áreas não são abrangidas por um reservatório, tampouco possuem um sistema de abastecimento de água eficiente, com grande capacidade volumétrica, que forneça água de qualidade e em quantidade suficiente para sua população. Famílias de outros 47 assentamentos da reforma agrária, localizados em 19 municípios do estado serão beneficiadas com poços.

A iniciativa é fruto de entendimento entre a Superintendência do INCRA e o Comando do Exército. O emprego do Exército Brasileiro se dará sob forma de operação de cooperação e coordenação com agências, contribuindo, significativamente, para destacar a “mão amiga” do Exército na Região Nordeste. A operação servirá para adestramento das equipes de perfuração e instalação de poços, aumentando a capacidade técnico-operacional das organizações militares do 1º Gpt E, além de colaborar com o desenvolvimento nacional e da Região Nordeste.

Fonte: 3º BEC
Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).