A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, na manhã desse sábado (22), por intermédio do Esquadrão Pantera (5°/8° GAV), sediado na Ala 4, em Santa  Maria (RS), uma missão de resgate, a bordo do helicóptero H-60L Black Hawk. Os militares resgataram um marinheiro ucraniano a bordo de um navio de bandeira belga que navegava na costa brasileira. O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), Organização da FAB responsável pela coordenação de missões aéreas, acionou o Esquadrão após o contato do Centro de Coordenação de Salvamento Aéreo (SALVAERO) da região.

O engajamento da tripulação do Esquadrão Pantera começou às 5h30 da manhã (horário de Brasília) a fim de efetuar uma Evacuação Aeromédica (EVAM) imediata de um tripulante que sofreu uma queda à bordo da embarcação denominada “Mineral Gent”, que encontrava-se a 374 milhas náuticas (equivalente a 692 quilômetros) da costa brasileira, na direção da cidade de Rio Grande (RS). O navio saiu de Montevidéu, no Uruguai, e tinha como destino Langshan, na China.

Com dois homens de resgate no convés, foi colocado um colar cervical na vítima, que posteriormente foi transportada na maca. No momento do içamento do marinheiro, ventava bastante e o navio já se encontrava a 130 milhas (240 quilômetros) da costa. O desafio foi uma prova para demonstrar a excelência dos treinamentos realizados pelo Comando de Preparo (COMPREP), resultando em mais uma missão concluída com sucesso. Após o resgate, a vítima foi deixada no aeródromo de Rio Grande (RS), por volta das 12 horas, para os cuidados de saúde das instituições locais.

Um dos Homens de Resgate (HSAR) desse salvamento, Sargento Leandro dos Santos Pataro, disse que para o bom cumprimento da missão são importantes os constantes treinamentos em sede, como também o Exercício Operacional de içamento no mar realizado em Florianópolis (SC), que teve como objetivo preparar os militares da Unidade Aérea para o resgate do tipo kapoff (duplo molhado) e do tipo convés (duplo seco e maca).

“Essa constância nos treinamentos gera uma tranquilidade no cumprimento da missão real. Em relação ao sentimento de ajudar a salvar uma vida, eu me sinto realizado. Além disso, poder cumprir uma missão como parte da equipe SAR do 5/8º é mais um sonho realizado”, acrescentou o militar da FAB.

Fotos: Tenente Maki / Esquadrão Pantera

Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Flávia Rocha
Marcelo Barros, com informações e imagens da Agência Força Aérea
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui