blank
Imagem: Speedbird Aero - divulgação

Google News

Já pensou fazer uma compra por aplicativo e o produto ser entregue por um drone? Pois é, esta tecnologia já é realidade no Brasil. O serviço de delivery com aeronaves controladas remotamente começou, de forma experimental, em agosto de 2020 com autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Agora, em 2022, após ser testado em oito estados, a operação com drones em parceira com um aplicativo de entregas será efetiva.

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, astronauta Marcos Pontes, conheceu a tecnologia durante a inauguração do Centro de Referência IoT e Tecnologias 4.0 FACENS-MCTI em abril de 2021 na cidade de Sorocaba (SP). Na oportunidade, Pontes viu de perto o drone capaz de enviar até 5 quilos de carga em uma distância de até 100 quilômetros, o DLV-4. “Nós não podemos parar a tecnologia para manter os postos de trabalho, mas podemos preparar e requalificar os profissionais, assim como formar as novas gerações já adaptadas para esse novo cenário”, disse o ministro que ainda autografou a aeronave.

Imagem: Speedbird Aero - Divulgação

A empresa que desenvolve esta tecnologia de entregas é a Speedbird Aero que utiliza tecnologia nacional tanto na produção das aeronaves quanto nos softwares de navegação. A princípio, as entregas ainda não chegam até a porta da casa dos clientes. Os drones usam uma rota pré-determinada, partindo e chagando em locais chamados de droneportos. A operação experimental já foi feita em Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), João Pessoa (PB); Aracaju (SE); Rio de Janeiro (RJ), Campinas (SP) e São Paulo (SP).

Samuel Salomão, chefe de produto da companhia destaca o uso de tecnologia brasileira no projeto. “A Speedbird é uma empresa nacional fabricante de aeronaves e também um operador aéreo. Toda a tecnologia usada pela empresa está sendo aplicada no Brasil, gerando contratações e desenvolvimento”. Pedro Curcio Júnior, idealizador do projeto deu detalhes dos tramites para a aprovação do projeto. “Levamos à Anac, em março de 2019, pela primeira vez no Brasil um projeto sério para transporte aéreo por drone do qual a gente foi muito bem recebido”.

Manoel Coelho, chefe-executivo da empresa, afirma que os drones representam mais uma opção logística que complementam os modais de transporte existentes, além de não emitir carbono. “A ideia é a gente ir adicionando a operação com drones onde ela puder ser implementada, o que pode tanto melhorar a questão da entrega, não apressar tanto os motoqueiros, assim como preservar o meio ambiente, na questão do carbono, o que ajuda no objetivo de nossos parceiros de fazer entrega de forma segura e eficiente”.

A aeronave que que recebeu autorização da Anac para operação a partir de 2022 é a DLV-1, um drone com capacidade de levar até 2 quilos de carga em uma distância de até 4 quilômetros, que poderá ser ampliado em breve. Essas entregas já acontecem em parceria com a empresa Ifood em Campinas (SP) e agora começará em Sergipe (AL). Vale lembrar que o aplicativo comercializa além de alimentos, medicamentos e artigos de supermercado que poderão ser entreguem utilizando a tecnologia. A empresa Speedbird Aero também conta com outra versão de aeronave, a DLV-2, com capacidade de carga de até 8 quilos e podendo ser operado em um raio de 10 quilômetros.

Fonte: MCTI