As quatro empresas selecionadas para realizar lançamento de veículos espaciais não militares no Centro Espacial de Alcântara (CEA) foram conhecidas, na tarde desta quarta-feira (28), durante evento na Base Aérea de Brasília. O Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, compareceu ao evento ao lado do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

As selecionadas, em chamamento público, são corporações, sendo três americanas e uma canadense. São elas: Hyperion, C6 Launch, Virgin Orbit e OrionAST. Após o anúncio, o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, e o presidente da Agência Espacial Brasileira vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTIC), Carlos Moura, cumprimentaram e entregaram placa simbólica referente ao evento aos representantes das empresas.

CEA_1.jpg

A Força Aérea é responsável pela gestão do CEA. Em 2020, firmou acordo de cooperação, com a Agência Espacial Brasileira (AEB) para as tratativas iniciais com empresas interessadas em utilizar bens e serviços para lançamento de veículos espaciais não militares utilizando a estrutura da base espacial. Assim, o evento desta quarta-feira, apresentou o resultado final do chamamento público iniciado no ano passado.

Na cerimônia, o Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, destacou que esse era momento muito esperado, parabenizou os representantes das empresas e relembrou conquistas relacionadas à Base Espacial de Alcântara. “Desde 2019 até agora, lançamos quatro satélites e vem outros pela frente, com desenvolvimento nacional e parceiras internacionais”, disse. Ele relembrou, ainda, que, em fevereiro deste ano, foram entregues 120 títulos de propriedade às famílias dos arredores da Base, remanejadas por ocasião da criação da Base Espacial na década 80.

MarcosPOntes.jpg

Representando o Ministro da Defesa, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Júnior, ressaltou que “para o Brasil, a implantação do Centro Espacial de Alcântara implicará em intercâmbio de experiências, aperfeiçoamento técnico dos nossos recursos humanos, da nossa infraestrutura, desenvolvimento de novos processos e aumento no nível de prontidão operacional”.

BrigadeiroBptista.jpg

Ele reforçou ainda que haverá benefícios em escala local, regional e nacional, com o “desenvolvimento de serviços e da indústria, incorporação de produtos de alto valor agregado, geração de emprego, aperfeiçoamento da mão de obra e investimentos na infraestrutura local”, enumerou.

O evento ocorreu em um salão escuro iluminado por luzes azuis. À frente das autoridades, estrelas no infinito eram projetadas em um telão, contribuindo para que os presentes tivessem a sensação de estar no espaço sideral.

A cerimônia também foi prestigiada pelo Ministro das Relações Exteriores, Carlos França; da Economia, Paulo Guedes; do Turismo, Gilson Machado Neto; pelo Comandante do Exército, General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira; pelo Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente-Brigadeiro do Ar Raul Botelho; e pelo representante do Comandante da Marinha, o Chefe do Estado Maior da Armada, Almirante de Esquadra Marcos Silva Rodrigues. Além de embaixadores, senadores, deputados e autoridades militares e civis.

Por Mariana Alvarenga
Fotos: Antonio Oliveira

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui