Ricardo Stukert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta terça-feira (9) da inauguração da linha de produção da aeronave Gripen na fábrica da Embraer, na cidade de Gavião Peixoto, interior de São Paulo. O evento celebra o resultado do contrato entre a empresa sueca Saab e a Força Aérea Brasileira (FAB), que prevê a entrega de 36 caças Gripen até 2027 e a transferência de tecnologia para o Brasil.

Fortalecimento da indústria nacional e desenvolvimento tecnológico

O ministro da Defesa, José Múcio, destaca que a parceria fortalece a indústria nacional e eleva o Brasil a patamares cada vez mais amplos no desenvolvimento tecnológico para a defesa nacional. A transferência de tecnologia e a capacidade de produção da aeronave em Gavião Peixoto proporcionam autossuficiência em fases delicadas do processo produtivo. Das 36 aeronaves previstas em contrato, 13 serão fabricadas na Suécia, oito terão produção iniciada na Suécia e concluída no Brasil, e 15 serão fabricadas integralmente na unidade da Embraer.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Capacitação de engenheiros e técnicos brasileiros

Para a execução do projeto, engenheiros e técnicos brasileiros passaram por treinamento na sede da Saab, em Linköping, na Suécia. Atualmente, quatro dos aviões já estão operacionais na Base Aérea de Anápolis (GO), e outros dois chegaram ao país na última sexta-feira (5).

Embraer conta com ecossistema completo para os caças Gripen

A fábrica da Embraer agora possui o ecossistema completo para os caças Gripen nas fases de desenvolvimento, testes e produção. A unidade abriga também o Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen e o Centro de Ensaios em Voo. O caça F-39 Gripen foi escolhido pelo programa FX-2 da FAB, em uma concorrência concluída em 2013, na gestão da presidenta Dilma Rousseff, destinada à substituição da frota de aviões de caça da Aeronáutica.

O ministro Múcio ressalta que o contrato para o desenvolvimento e a produção das aeronaves Gripen traz novos horizontes na capacidade de prover a defesa aérea compatível com as dimensões continentais do Brasil, aumentando significativamente a capacidade operativa, de aquisição de alvos e eficiência do país.

O Programa Gripen faz parte das ações voltadas para a renovação da infraestrutura das Forças Armadas, processo que também inclui os projetos do submarino nuclear brasileiro e do blindado Guarani.

Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).