blank

Google News

A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), que administra os Portos do Rio de Janeiro, Itaguaí, Niterói e Angra dos Reis, divulgou, na última quarta-feira (20), as Demonstrações Financeiras de 2021. A Autoridade Portuária encerrou o exercício de 2021 com um lucro bruto de R$ 807,8 milhões, representando 77% do seu faturamento, na ordem R$ 1,043 bilhão.

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

O diretor-presidente da Docas do Rio, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, ressalta que, quando comparado ao exercício anterior, o lucro bruto apresentou um acréscimo de 75%, resultado do aumento das receitas brutas em 2021: “O faturamento recorde da companhia foi impulsionado tanto pela alta na movimentação de cargas, quanto pelas variáveis como a taxa de câmbio e o preço do minério de ferro no mercado internacional, que amplificaram as receitas da exportação dessa principal commodity”.

Apesar do relevante aumento da receita, pendências históricas da companhia impactaram o resultado operacional antes do resultado financeiro, que encerrou o exercício na ordem de R$ 70 milhões, 56% menor que em 2020. Isso porque a Docas do Rio contou com um aumento significativo nas suas despesas com provisões contábeis, em atenção ao Pronunciamento Contábil CPC 25.

Segundo o Diretor Administrativo-Financeiro da Docas do Rio, Indalecio Castilho Villa Alvarez, “a melhoria no faturamento, somada à efetiva gestão do fluxo de caixa, possibilitou o encerramento do exercício de 2021 com a disponibilidade de R$ 351 milhões, valor mais representativo dos últimos anos e, ainda, com o menor nível de inadimplência, em função do equacionamento da maior parte dos seus passivos históricos”.

A superintendente de Finanças da companhia, Camila de Souza Pereira Carvalho, destaca que, “ainda que o decréscimo do resultado operacional tenha culminado em um prejuízo contábil no exercício, a performance da Companhia não foi comprometida, pois além das melhorias de gestão, a Docas do Rio auferiu lucro fiscal, recolhendo tributos à Receita Federal, e alcançou um EBITDA na ordem de R$ 134 milhões, que representa um significativo desempenho no que diz respeito à geração de caixa e a capacidade de produzir recursos”.