Por Mariana Alvarenga e Soraya Brandão

Há 373 anos nascia a Força Terrestre. Para celebrar a data, nesta segunda-feira (19), foi realizada cerimônia no Clube do Exército, em Brasília. O evento, presidido pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, foi prestigiado pelo Ministro da Defesa, Walter Braga Netto, e autoridades militares e civis.

Na ocasião, foram condecoradas autoridades civis dos Três Poderes e militares do alto comando das Forças Armadas com a insígnia da Ordem do Mérito Militar e a Medalha do Exército. Em seu discurso, o Presidente Bolsonaro elogiou a Força Terrestre. “Nos momentos mais difíceis que a Nação atravessou, esse Exército, e também a Marinha e a Aeronáutica, sempre se fizeram presentes”, destacou.

Nos siga no Instagram, Telegram ou no Whatsapp e fique atualizado com as últimas notícias de nossas forças armadas e indústria da defesa.

Ao contar um pouco da história da Força Terrestre, o Comandante do Exército, General Edson Leal Pujol, relembrou a origem desses militares, quando lutaram na Batalha dos Guararapes, em 1648. “Aquela vitória heroica foi o prelúdio da construção da identidade do Brasil como nação soberana. Nascia, então, o sentimento de patriotismo”, recordou.

Ele também enfatizou as ações realizadas no âmbito da Operação Covid-19 de enfrentamento ao novo coronavírus, como desinfecção de locais públicos, distribuição de medicamentos e transferência de pacientes. Reforçou que a ligação entre a Força Terrestre e o povo brasileiro é fator preponderante para que a sociedade mantenha a elevada confiança no “braço forte e mão amiga”. “O Exército sempre se fará presente. Moderno, com meios adequados e profissionais altamente preparados, forjando capacidades militares que superem os desafios do século 21”, ressaltou.

Em seguida, as autoridades receberam as condecorações das mãos dos paraninfos. A Ordem do Mérito Militar é a mais alta distinção honorífica do Exército. Premia militares que tenham prestado notáveis serviços ao País ou tenha se destacado no exercício de sua profissão. Agracia também personalidades civis e militares, brasileiras ou estrangeiras, que prestaram serviços relevantes ao Exército, bem como organizações militares e instituições civis, nacionais ou estrangeiras.

A medalha Exército Brasileiro destina-se a distinguir cidadãos e instituições civis, brasileiras ou estrangeiras, integrantes da Marinha, da Aeronáutica e das Forças Auxiliares que tenham praticado ação destacada ou serviço relevante em prol do interesse e do bom nome do Exército.

Agraciados
Entre os paraninfos, o Diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Produtos de Defesa do Ministério da Defesa, General Luis Antônio Duizit Brito, destacou que o evento trouxe “congraçamento entre todos os tipos de ramos e atividades, abrangendo políticos, juízes, legisladores, pessoas da sociedade. Demonstra que o Exército congrega a todos”, disse.

WhatsApp Image 2021-04-19 at 19.47.14.jpeg

A Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, foi uma das civis agraciadas. Ela assegurou ter sido uma honra receber uma medalha da Força Terrestre. “Eu vejo o Exército como o homem que chora quando vê uma criança com fome, como o soldado na floresta que protege as crianças e idosos indígenas, como alguém que cuida de pessoas”, resumiu.

WhatsApp Image 2021-04-19 at 19.47.15 (1).jpeg

O Chefe de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa, Almirante Petrônio Aguiar, enalteceu a data e parabenizou o Exército. “O recebimento dessa medalha coroa uma amizade muito grande entre os membros das Forças Armadas. Nós temos muito a comemorar no aniversário dessa brilhante e sensacional instituição”, elogiou.

O Diretor do Departamento de Promoção Comercial do Ministério da Defesa, Brigadeiro José Ricardo Meneses, disse que seu relacionamento com o Exército é de longa data e receber a medalha representa um reconhecimento. “Sempre cumpri muitas missões como piloto de transporte junto com as delegações e comitivas do Exército e receber uma condecoração como essa é um imenso prazer”, ressaltou.

WhatsApp Image 2021-04-19 at 19.47.14 (1).jpeg

A cerimônia ainda foi prestigiada pelo Ministro-Chefe de Segurança Institucional, Augusto Heleno, o Ministro-Chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos, o Comandante do Exército designado, General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, e demais autoridades militares e civis.

História
O Exército Brasileiro, como força de defesa da Pátria, surge na batalha de Guararapes, quando negros, brancos e índios lutaram lado a lado para defender o território brasileiro contra os holandeses. Nesses quase quatro séculos de história, com o mesmo espirito de união e camaradagem, a Força Terrestre trabalha para garantir a integridade, o desenvolvimento do território nacional e o bem-estar de sua gente.

Com efetivo de cerca de 223 mil militares, entre homens e mulheres, distribuídos em 917 organizações, o Exército está presente em todo território nacional. Atua de forma integrada do Monte Caburaí, em Roraima, ao Chuí, no extremo sul do País. Sob o lema Braço Forte, Mão Amiga, o Exército opera ao lado da Marinha e Aeronáutica, em diversas frentes de apoio à saúde e à segurança da população brasileira.

Fotos: Antonio Oliveira

Marcelo Barros, com informações do Ministério da Defesa
Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).