Crédito: CCOMSEx

O Dia da Família Militar, comemorado no dia 18 de setembro, foi instituído por meio da Portaria nº 650, do Comandante do Exército, em 10 de junho de 2016. A data faz referência ao nascimento de D. Rosa Maria Paulina da Fonseca (1802 a 1873), Patrono da Família Militar, na então cidade de Alagoas, capital da província de mesmo nome e atual município de Marechal Deodoro.

Em 1824, D. Rosa da Fonseca casou-se com o Major do Exército Imperial Manoel Mendes da Fonseca, militar que se destacou na prestação de serviços ao Império. Ela sempre apoiou o marido em todas as suas resoluções até o final da vida. Mulher forte, teve dez filhos dessa união, que viria a ser uma das mais importantes famílias militares, com destaque na política e na administração pública brasileira.

Dos dez filhos, duas eram mulheres, Emília e Amélia; e oito, homens que abraçaram a carreira das Armas: Hermes Ernesto, Afonso Aurélio, Hyppólito Mendes, Eduardo Emiliano, João Severiano, Severiano Martins, Manuel Deodoro e Pedro Paulino. Desses, sete seguiram para os campos de batalha da Guerra da Tríplice Aliança, onde três morreram heroicamente defendendo a Pátria. Permaneceu junto a ela apenas seu filho Pedro Paulino, tenente reformado do Exército, futuro governador de Alagoas e senador federal por esse estado.

Dentre os importantes feitos da família, cabe destacar que:

    – Morreram em combate o Alferes Afonso Aurélio da Fonseca, na batalha de Curuzú; o Capitão de Infantaria Hyppólito Mendes da Fonseca, na batalha de Curupaiti; e o Major de Infantaria Eduardo Emiliano da Fonseca, na batalha de Itororó;

    – O General de Brigada João Severiano da Fonseca, primeiro médico a ascender ao generalato, foi designado como Patrono do Serviço de Saúde do Exército;

    – O Marechal de Exército Manuel Deodoro da Fonseca foi o Proclamador da República e o primeiro Presidente do Brasil; e

    – O Marechal Hermes Rodrigues da Fonseca, filho do primogênito de D. Rosa da Fonseca, Hermes Ernesto da Fonseca, e outro importante ícone da família, foi o oitavo Presidente da República.

A história de vida de D. Rosa da Fonseca foi marcada por conquistas e alegrias, mas também por perdas e tristezas. Contudo, destacam-se a abnegação e o sacrifício com que superou as dificuldades em proveito da família e da Pátria. A escolha de seu nome como Patrono da Família
Militar não foi em vão. Matriarca exemplar, seu nome passou a significar o exemplo de amor ao marido e aos filhos e o espírito de patriotismo, que são características que definem a Família Militar.

Firmando suas bases em pressupostos éticos, de caráter, honra, disciplina, hierarquia e camaradagem, nesta data, 18 de setembro, o Exército Brasileiro reconhece o valor dessa admirável mulher que faleceu na cidade do Rio de Janeiro, em 11 de julho de 1873, aos 70 anos de idade.

Que a “Mãe dos Sete Macabeus”, como ficou conhecida, nos inspire com sua história de vida na construção e na manutenção dos valores basilares para a Família Militar, tais como: sacrifício, dedicação, resiliência e coragem.

.: Versão em pdf para impressão                                                        

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército
Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui