Voiced by Amazon Polly

Google News

O Subdepartamento de Operações (SDOP) do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) realizou um treinamento com representantes de seus Órgãos Regionais, operadores de aeródromos e profissionais da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), visando ao uso da plataforma RCR (Runway Condition Report – Report de Condição de Pista).

O treinamento foi ministrado pelo 1º Sargento Especialista em Serviço de Informações Aeronáuticas Jader Pinheiro Oliveira, da Assessoria de Transformação Digital (ATD) do SDOP do DECEA. Do treinamento, realizado remotamente, participaram 55 profissionais.

O Report de Condição de Pista é preconizado pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) e tem como finalidade a melhoria de avaliação e divulgação das condições de pista de aeródromos, por meio da identificação da presença de substâncias contaminantes, como gelo, neve, geada ou água em cada terço da pista.

O RCR se baseia na metodologia GRF (Global Reporting Format – Formato Global de Reporte) para as condições de superfície de pista, definido pela OACI. Os RCR cadastrados são disponibilizados ao público no AISWEB.

“A nova ferramenta possui interface mais amigável em relação à solução utilizada anteriormente e foi estruturada de forma a minimizar a ocorrência de erros no cadastro dos reports. Além disso, os participantes apresentaram ótimos feedbacks para aprimorar o sistema. Dessa forma, serão feitas modificações na ferramenta e na interface de visualização (para o usuário) na AISWEB” –  avaliou o Capitão Especialista em Controle de Tráfego Aéreo Márcio André da Silva, coordenador da implementação do GRF.

Anteriormente, o cadastro dos reports era feito por meio do Gerenciador de Indicadores de Localidade (GEILOC), também desenvolvido pela ATD. A nova plataforma RCR apresenta mais recursos e facilita a vida do usuário ao fazer o cadastro. A interface de visualização, para o usuário, é mais completa.

Guilherme Lanconi participou do treinamento promovido pelo DECEA e avaliou que o cadastramento ou alteração de RCR ficou mais rápido e confiável. “O novo sistema é mais adequado, pois além de incluir novas ferramentas importantes para os usuários, percebemos que o preenchimento das informações está melhor. Um exemplo de melhoria são os campos de cadastramento do RCR, uma vez que as opções já estão listadas, fornecendo mais agilidade e confiabilidade no lançamento das informações levantadas referentes às pistas”, elogiou o coordenador de tráfego aéreo do Aeroporto Afonso Pena que, na fase do projeto piloto, utilizava o  GEILOC para o cadastro.

Histórico

A implementação do RCR no Brasil teve início em 2018, através de um projeto piloto no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba (PR). Desde janeiro de 2020, a metodologia é aplicada nas operações daquele aeroporto. A partir de 2020, iniciou-se a execução do plano de implementação nacional do GRF.

O RCR está em fase de expansão para aeródromos de Classe IV (conforme RBAC nº 153 da ANAC). Atualmente, a metodologia está sendo implementada nos seguintes aeródromos: Salgado Filho (Porto Alegre – RS), Guarulhos (SP), Congonhas (São Paulo -SP), Viracopos (Campinas – SP), Galeão (Rio de Janeiro – RJ), Santos Dumont (Rio de Janeiro – RJ), Brasília (DF), Confins (Belo Horizonte – MG), Tancredo Neves (Confins – MG), Pinto Martins (Fortaleza – CE), Guararapes – Gilberto Freyre (Recife – PE), Deputado Luís Eduardo Magalhães (Salvador – BA).

As informações são da Força Aérea Brasileira.

Participe do nosso grupo e receba as principais notícias do Defesa em Foco na palma da sua mão.

blank

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui