Assinatura do Protocolo de Intenções pelo CTecCFN e UFG Fonte: UFG,2022

O Centro Tecnológico do Corpo de Fuzileiros Navais (CTecCFN) firmou, em 7 de julho, um Protocolo de Intenções com a Universidade Federal de Goiás (UFG) cujo objetivo foi o de estabelecer um “Programa de Soluções Tecnológicas” entre ambas as instituições.

O estabelecimento de parcerias entre os atores do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI) é uma das ações estratégicas indicadas na Política de Ciência, Tecnologia e Inovação de Defesa, sendo o CTecCFN e a UFG componentes do SNCTI e classificados como operadores de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I).

Com foco no envolvimento de integrantes da “tríplice hélice” para o desenvolvimento de novos produtos visando atender às demandas tecnológicas do Corpo de Fuzileiros Navais, o CTecCFN tem buscado celebrar parcerias estratégicas com o setor acadêmico em projetos na área CT&I, de forma a contribuir com o Sistema de Ciência e Tecnologia da Marinha do Brasil para atuar na fronteira tecnológica e desenvolver a Base Industrial de Defesa.

O “Programa de Soluções Tecnológicas”, focado na redução do hiato tecnológico existente e no desenvolvimento de tecnologias chaves, contará com participação de alunos de diversas áreas de conhecimento, como Biologia, Engenharia Mecânica, Farmácia, Engenharia Elétrica, Engenharia de Computação, Química e outras, que receberão desafios enfrentados no emprego do Poder Naval e orientados pelos professores, desenvolverão propostas de soluções em formato de projeto de pesquisa. Os trabalhos considerados mais relevantes pela Marinha do Brasil (MB) serão submetidos ao teste de admissibilidade para que possam no futuro integrar a carteira de projetos da Força.

blank
Membros da UFG e militares do CTecCFN
Fonte: UFG,2022

O programa estabelecido pretende estimular o corpo discente da UFG, composto por graduandos, mestrandos e doutorandos, a desenvolver pesquisas básicas e aplicadas com foco no incremento do poder de combate do Corpo de Fuzileiros Navais, bem como prospectar projetos de pesquisa desenvolvidos naquela Universidade e que sejam de interesse da MB. Com a celebração desta parceria, além de contar com a participação efetiva da sociedade acadêmica no processo de independência tecnológica, ao longo do desenvolvimento dos trabalhos acadêmicos os alunos conhecerão as atividades desenvolvidas pela MB.

O Protocolo de Intenções foi assinado nas instalações da reitoria da UFG, em Goiânia (GO), ocasião na qual estiveram presentes a Reitora da UFG, Angelita Pereira de Lima, o Comandante do CTecCFN, Capitão de Mar e Guerra Celio Litwak Nascimento, além do Vice-Reitor e de outros membros da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação e do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação do CTecCFN.

Marcelo Barros, com informações e imagens da Marinha do Brasil
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui