COPAC
201113 Kontraktsskrivning FMV-COPAC Ms. Ywonne Colegate Senior Adviser, Legal & Security, FMV Major Brigadier Valter Malta, Head of COPAC. Hus 112 Tannefors Linköping Foto:Lasse Hejdenberg. Hejdlösa Bilder AB [email protected] +46703311118 Box 594 581 07 Linköping Sweden 300 dpi, AdobeRGB

Nos dias 12 e 13 de novembro de 2020, a Comissão Coordenadora do Programa de Aeronave de Combate (COPAC) participou da reunião do Security Working Group (SWG) do Projeto F-X2, evento com previsão em um acordo celebrado entre o Brasil e a Suécia, que estabelece os procedimentos de segurança a serem seguidos por todas as organizações envolvidas com o desenvolvimento das aeronaves Gripen E/F.

Na oportunidade, foi assinado a versão 2020 do Program Security Instruction (PSI), documento que estabelece procedimentos e atribui responsabilidades a serem seguidos na execução das atividades do Projeto F-X2. Na ocasião, cada empresa brasileira beneficiária do Acordo de Offset – Transferência de Tecnologia – realizou uma apresentação mostrando uma visão geral das ações de proteção da informação que envolvem dados estratégicos dos dois países, ações mitigatórias, capacidades e outras informações relevantes à equipe multidisciplinar do SWG, composta da Gerência Executiva do Projeto (COPAC), Gerência de Segurança (CIAER), Empresa SAAB e Agência Sueca de Material de Defesa (FMV).

O Presidente da COPAC, Major Brigadeiro do Ar Valter Borges Malta, enfatiza a importância do evento para o Comando da Aeronáutica, pois “o Security Working Group comprova que o Brasil e a Suécia realmente têm um grande e confiante engajamento em nosso Projeto comum, que é um esforço substancial para todos os envolvidos com o desenvolvimento desse Sistema de Armas, que é a aeronave F-39 Gripen”, disse.

Para o Oficial de Segurança do Projeto, Major Especialista em Comunicações Romulo Silva de Oliveira, o projeto vive um momento muito importante e as questões de segurança são muito relevantes. “O encontro foi muito bom, em especial, durante as apresentações da indústria brasileira e a discussão a respeito da apresentação feita pelos Centros de Inteligência brasileiro e sueco. Isso mostra que o SWG, sob vários aspectos, possibilita a oportunidade de dar continuidade ao trabalho de defesa de interesses comuns entre Brasil e Suécia”, complementou.

Foto: COPAC

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui