Para quem acha que a pandemia mudou o apetite dos criminosos para o roubo, está muito enganado até junho deste ano, mais de 16 mil veículos foram roubados no estado de São Paulo, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

Para entender e traçar um perfil do que a criminalidade procura, falamos com uma especialista em rastreamento e recuperação veicular.

Com uma base dessas e mais de 36 mil clientes ativos, o dr.localiza fez um levantamento dos veículos mais roubados no primeiro semestre de 2020.

Confira o ranking por categoria.

Motocicletas

1º lugar: Honda CG 160

2º lugar: Honda XRE 300/ 300 ABS/Flex
3º lugar: Honda CB Twister/Flexone 250CC
4º lugar: Honda CG 150 FAN ESDI/Flex
5º lugar: Honda CB 300R/ 300R Flex

Carros
1º lugar:
GM Chevrolet Onix
2º lugar:
Fiat Uno Mille
3º lugar:
Hyundai – HB20
4º lugar:
Volkswagen Gol (modelo novo)
5º lugar: Volkswagen Vogaye

 

Utilitários

1º lugar: Fiat Fiorino Furgão
2º lugar:
Fiat Ducato
3º lugar: Ford Ecosport
4º lugar:
Fiat Toro Freedom
5º lugar: Renault Master Furgão

Fonte: https://drlocaliza.com.br/

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).