Google News

Os smartphones são verdadeiras extensões da vida privada. Armazenam mensagens, fotos, vídeos, conversas, dados bancários e outras informações pessoais que se tornaram chave para a elucidação de crimes em todo o mundo. O caso da morte do menino Henry Borel, de apenas 4 anos, é um dos exemplos mais recentes da importância desse tipo de prova no curso de uma investigação. A partir da recuperação de mensagens trocadas pela mãe do garoto e a babá que haviam sido apagadas, a Polícia Civil do Rio de Janeiro conseguiu deflagrar a prisão preventiva dos suspeitos.

Para Octávio Carradore, diretor de Relações com o Mercado da Dígitro Tecnologia, em um mundo hiperconectado, as tecnologias permitem explorar e resolver investigações do mundo físico a partir de dados do mundo digital. Nesse contexto, se destaca o Guardião Online, que atende os novos desafios e requisitos exigidos pelas investigações modernas.  O Guardião Online, usando inteligência artificial, acelera e amplia sensivelmente a produtividade e a precisão nas operações policiais, permitindo a fusão de dados de nuvem, internet, telefonia e outras bases bem como transcrição de áudio para texto, contidos em arquivos de vídeo ou áudio. Com isso, o sistema auxilia na elucidação de crimes em curto prazo e com grande precisão”, afirma Carradore.

Em abordagens mais complexas – como as investigações que envolvem o crime organizado, narcotráfico e lavagem de dinheiro – o desafio é extrair dados úteis e confiáveis de uma infinita massa de dados obtidos de múltiplas fontes de diversos dispositivos eletrônicos com o afastamento judicial do sigilo dos dados.  Neste contexto criminal mais complexo, cuja atividade investigativa exige uma análise mais abrangente e trabalho colaborativo entre os agentes policiais, a tecnologia precisa prover ferramentas de análise capazes de cruzar dados em grandes volumes que encontram-se armazenadas em provedores como a Google e a Apple.

Acesso às informações

Em um universo de grande fluxo de informações trocadas diariamente em ferramentas de mensagem instantâneas, o sistema permite ainda explorar esses dados em aplicativos como WhatsApp e outras Mídias Sociais, desde que a Justiça autorize o afastamento do sigilo telemático. A partir da infiltração policial virtual, feita com autorização prévia da Justiça, a investigação passa a ter acesso às informações, permitindo assim todos os controles legais e a transparência nos procedimentos de elaboração da prova judicial.

Nestas investigações, múltiplos agentes podem usar diversas fontes de informação de forma integrada, com a preservação da cadeia de custódia, inclusive daqueles dados oriundos de extratores físicos de smartphones, planilhas eletrônicas, extratos bancários e demais fontes de artefatos necessários para a comprovação da autoria criminosa.

“Neste contexto, o Guardião Online, ferramenta tecnológica desenvolvida pela Dígitro Tecnologia alcança para a investigação criminal, todos os instrumentos e recursos de TI necessários à descoberta dos autores do crime e auxilia na comprovação da hipótese investigativa, ao mesmo tempo que poderá acrescer outras informações até então não descobertas”, afirma Humberto de Sá Garay, consultor em Inteligência e Segurança Pública da Dígitro Tecnologia, que também é professor especialista em Inteligência Cibernética, membro da  Associação Nacional dos Profissionais de Privacidade de Dados (ANPPD®) e Digital Forensics/Criminal Intelligence. De acordo com ele, em um contexto em que o crime se organiza e atua de forma articulada no ambiente digital, as instituições precisam investir na atualização de ferramentas que permitam a análise exploratória integrada de dados e na capacitação metodológica do seu uso.

A promoção do acesso às conversas do WhatsApp pela polícia se apresenta no atual contexto com altivos efeitos para o esclarecimento de crimes, impactando positivamente na segurança pública.

Por fim, o especialista considera que “Efetivado o exame exploratório dos dados registrados nos smartphones pelo sistema Guardião Online, os resultados podem conceber elementos de provas relevantes e capazes a motivar medidas cautelares, prisões, desmantelamento de associações e organizações criminosas. Por exemplo, a descoberta de informações em agendas de contatos pode levar a descoberta de conexões entre usuários e que, cruzadas com outras informações de origem espacial, como o georreferenciamento – GEOIP, mensagens de e-mails e sites acessados na internet permitem estabelecer hipóteses investigativas ou ainda confirmar aquelas já conhecidas revelando assim os autores do crime e demais envolvidos.”

Fonte: Portal BIDS

Participe do nosso grupo e receba as principais notícias do Defesa em Foco na palma da sua mão.

blank

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do Defesa em Foco em seu e-mail, é de graça!