O Comando Militar da Amazônia (CMA) é uma unidade crucial do Exército Brasileiro (EB), responsável por uma região que exige atenção e dedicação especial devido às características únicas da Selva Amazônica. Reforçando o comprometimento com a defesa e a manutenção da paz nesta área estratégica, o Comando de Operações Terrestres (COTER) está em visita à Guarnição de Manaus nesta semana.

Liderança e Atividades

blank

A comitiva do COTER, liderada pelo Comandante de Operações Terrestres do EB, General de Exército Novaes, e pelo Chefe do Emprego da Força Terrestre, General de Divisão Fructuoso, esteve presente no Quartel-General do CMA na segunda-feira (3). Durante a visita, participaram de reuniões com os Oficiais Generais do CMA, assistiram a um briefing no Centro de Coordenação de Operações (CCOp) sobre as operações em andamento, e acompanharam a primeira fase do adestramento da 1ª Brigada de Infantaria de Selva (1ª Bda Inf Sl). Além disso, participaram de outras atividades relevantes.

Troca de Experiências e Informações

Esses encontros proporcionaram uma troca de experiências e informações, fundamentais para a coordenação eficiente das operações militares na região, que é de grande importância geopolítica e ambiental. A apresentação das capacidades operacionais do CMA destacou as peculiaridades das missões realizadas na Amazônia, como a logística em terrenos desafiadores e a integração com comunidades indígenas.

Capacidades Operacionais

A apresentação das capacidades operacionais do CMA foi um dos pontos altos da visita, evidenciando as peculiaridades das missões na Amazônia. As operações incluem logística complexa em terrenos desafiadores e a importante integração com as comunidades indígenas locais. Essas operações são essenciais para a proteção ambiental e a segurança da região.

Exército Presente, Amazônia Protegida!

A visita do COTER ao CMA reforça o compromisso do Exército Brasileiro com a proteção e a manutenção da paz na Amazônia, uma região de importância estratégica para o país.

Laboratório do Centro de Munição da Marinha Atinge Novo Marco de Excelência

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui