O Centro de Avaliações do Exército (CAEx) – “Campo de Provas da Marambaia/ 1948” apoiou, no período de 5 a 13 de abril, testes de integração da Viatura Blindada Multitarefa Leve sobre Rodas 4 x 4 (VBMT-LR 4 x 4) com o sistema de armas REMAX 4. A atividade, conduzida pelo Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e pela Empresa ARES, contou também com o apoio da Diretoria de Fabricação (DF) e da Empresa IVECO.

Militares e técnicos do CTEx, do CAEx e engenheiros e técnicos da ARES participaram das atividades, cujo objetivo foi realizar testes de integração da viatura IVECO LMV-BR 4 x 4 com o sistema de armas REMAX 4, da ARES, a fim de viabilizar a continuidade do projeto REMAX, otimizado por novas interfaces mecânicas e elétricas na plataforma veicular.

Foram efetuados testes de rodagem em diversos tipos de terreno, a fim de verificar padrões e realizar a convergência na malha de estabilização do sistema de armas REMAX 4 integrado ao LMV. Foram efetuados tiros com a viatura parada e em movimento com os calibres 7,62 mm e .50 polegada. Também se verificou e controlou o comportamento do sistema, que mantém a linha de visada no alvo com emprego de traqueamento de imagem, quando alvo e viatura podem estar ou não, simultaneamente, em movimento.

O LMV e o REMAX são um projeto, respectivamente, da DF e do CTEx. O REMAX 4 possui, como diferencial em relação à versão 3, já empregada pela tropa, maior capacidade de armazenamento de munição, além de ser mais leve e mais compacto.

No REMAX 4, a consciência situacional proporcionada pelo equipamento permite ao chefe da viatura, através da tecnologia embarcada, acesso às mesmas informações que o atirador, a respeito da viatura e do alvo, o que caracteriza constante melhoria na modernização e atualização do equipamento e prolonga o ciclo de vida dos sistemas e materiais de emprego militar (SMEM) do Prg EE Guarani.

O programa fomenta a pesquisa, o desenvolvimento e a inovação, através do trabalho constante entre o Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Exército (SCTIEx) e a Base Industrial de Defesa e Segurança (BIDS), pela entrega contínua de melhores versões da família de blindados sobre rodas e de sistemas tecnológicos de armas remotamente controladas e de comando e controle (C2).

blank

Marcelo Barros, com informações do Exército Brasileiro
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Assessoria de Comunicação (UNIALPHAVILLE), MBA em Jornalismo Digital (UNIALPHAVILLE), Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui