Reunião ocorreu nesta quinta-feira, 26 (Foto: Itamaraty)

A efetivação da estrada que liga Roraima a Lethem foi alvo de debate durante visita de representantes do governo do Brasil a Guiana. A informação é que foram retomadas as discussões sobre a conclusão da estrada que liga os dois países e a assinatura de um acordo de cooperação técnica para combater crime entre fronteiras.

A visita ocorreu nesta quinta-feira, 26. Na ocasião, o ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo esteve em reunião com o presidente da Guiana, Irfaan Ali; o vice-presidente IDr. Bharrat Jagdeo; o ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional, Hugh Todd; além do procurador-geral e os ministros da Agricultura, Obras Públicas e Assuntos Internos.

Segundo o governo brasileiro, as duas partes revisaram o atual programa de cooperação entre a Guiana e o Brasil e concordaram com a implementação de uma série de medidas destinadas a expandir e fortalecer a colaboração nos níveis bilateral e regional no contexto dos mecanismos de cooperação existentes.

“Após intercâmbios francos, acordaram as modalidades para o avanço da agenda de cooperação nas áreas de infraestrutura, comércio e investimentos, saúde, agricultura, energia, turismo e segurança”, reforçou o Itamaraty.

blank
Ernesto Araújo esteve com presidente da Guiana, Irfaan Ali e demais representantes (Foto: Itamaraty)

Brasil e Guiana assinam acordo de cooperação técnica para combater crime entre fronteiras

Brasil e Guiana determinaram, entre si, adotar medidas para realização de nove artigos. Em primeiro lugar está retomar as discussões sobre a conclusão do Projeto Rodoviário Guiana-Brasil, bem como sobre a implementação do “Acordo Transporte Rodoviário Internacional”.

Outro ponto é avançar em discussões sobre cooperação energética, incluindo aspectos ambientais, por meio do intercâmbio de missões técnicas e informações e buscar maior colaboração entre as autoridades de saúde, uma vez que ambos os Estados continuam lutando contra os efeitos nocivos do COVID-19.

Durante a visita também foi assinado o Memorando de Entendimento (MOU) para os “Estudos Técnicos de Viabilidade para Instalação de Rota Ótica de Boa Vista, Brasil a Georgetown, Guiana”, reconhecendo a importância de estabelecer infraestrutura de conectividade digital entre os dois países.

Além disso, também foi determinada intensificar a colaboração na área de segurança e combate às atividades ilícitas e ao crime organizado, por meio do intercâmbio de informações e conhecimentos.

“Para tanto, as duas partes firmaram o Acordo de Cooperação Técnica Internacional entre a Unidade Aduaneira Antinarcótico da República Cooperativa da Guiana e a Polícia Federal da República Federativa do Brasil”, explicou o Itamaraty.

Fora isso, também foi definido o aumento de colaboração em questões agrícolas, incluindo cooperação técnica no manejo de pragas e doenças, como exemplificado pelas atividades conjuntas de monitoramento da Mosca da Carambola (CFF); convocar em Georgetown, em janeiro de 2021, uma reunião do Grupo Guiana / Brasil de Cooperação Consular; convocar reunião do Comitê Técnico, no âmbito do Acordo de Alcance Parcial, com vistas à ampliação do comércio e dos investimentos; continuar a coordenação política e o diálogo sobre questões regionais, com ênfase na promoção da democracia e da prosperidade compartilhada e a visita do presidente Jair Bolsonaro à Guiana, prevista para ocorrer em 2021.

Por Folha Web

Marcelo Barros
Jornalista (MTB 38082/RJ). Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estácio de Sá (2009). Pós-graduado em Administração de Banco de Dados (UNESA), pós-graduado em Gestão da Tecnologia da Informação e Comunicação (UCAM) e MBA em Gestão de Projetos e Processos (UCAM). Atualmente é o vice-presidente do Instituto de Defesa Cibernética (www.idciber.org), editor-chefe do Defesa em Foco (www.defesaemfoco.com.br), revista eletrônica especializado em Defesa e Segurança, co-fundador do portal DCiber.org (www.dciber.org), especializado em Defesa Cibernética. Participo também como pesquisador voluntário no Laboratório de Simulações e Cenários (LSC) da Escola de Guerra Naval (EGN) nos subgrupos de Cibersegurança, Internet das Coisas e Inteligência Artificial. Especializações em Inteligência e Contrainteligência na ABEIC, Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa na ESG, Curso Avançado em Jogos de Guerra, Curso de Extensão em Defesa Nacional na ESD, entre outros. Atuo também como responsável da parte da tecnologia da informação do Projeto Radar (www.projetoradar.com.br), do Grupo Economia do Mar (www.grupoeconomiadomar.com.br) e Observatório de Políticas do Mar (www.observatoriopoliticasmar.com.br) ; e sócio da Editora Alpheratz (www.alpheratz.com.br).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui